Caderno Saúde 2606 - Páginas 2 e 3 / Alimentação saudável no inverno
Publicado em 26/06/2020

Folha Saúde

Foto: Reprodução/FS

Como manter uma alimentação saudável no inverno

A alimentação exerce um papel importante na saúde durante os dias mais frios, pois precisa adaptar o nosso organismo ao frio, seja no que se refere a prover ao corpo o combustível necessário para suportar o aumento das necessidades energéticas, provenientes do gasto calórico para manter o corpo aquecido, ou no que diz respeito ao reforço do sistema imunológico, que nos protege contra as doenças típicas da estação.
A nutricionista Hellen Dias dá algumas dicas de como manter uma alimentação saudável e balanceada no inverno. Confira:

Aposte nos refogados 
Com a chegada do inverno, o consumo de folhas e verduras diminui. Afinal, as saladas, que fazem sucesso no verão, já não abrem tão facilmente o apetite ou saciam a fome. 
Desta forma, uma alternativa é refogar os legumes e verduras, para consumi-los bem quentinhos e garantir a ingestão de nutrientes importantes no dia a dia. Brócolis, abobrinha, couve-flor, couve, acelga, cenoura e agrião são algumas opções de folhas e vegetais que podem render refogados deliciosos.

Mantenha as frutas sempre à mão
Aproveitar as frutas da estação em temperatura ambiente, como bergamota, a laranja, a maçã e a pera, por exemplo, fazem bem a qualquer hora do dia. Optar pelas frutas secas, desidratadas e liofilizadas também é uma boa alternativa para não descartar os nutrientes do cardápio. Outra sugestão é preparar receitas com todos os tipos de frutas.

Sopas
Frio e sopa é uma ótima combinação, porém, devemos ter atenção à composição e tamanho das porções consumidas. Substituir a salada com proteína grelhada por uma sopa composta por verduras, proteínas, legumes e temperos naturais pode ser uma opção saudável para os jantares de inverno.
Preparações compostas por creme de leite, macarrão, queijos gordurosos devem ser evitadas devido a maior oferta calórica. Dê preferencia a preparações com verduras, proteínas magras e legumes, como chuchu e abobrinha. Se preferir uma opção com maior oferta proteica, acrescente uma proteína de origem vegetal, como feijão, grão de bico, lentilha, ervilha ou proteínas de origem animal.

Chás
Além da sensação de prazer e relaxamento, o consumo regular de chás pode ter efeitos positivos no organismo, devido às propriedades antioxidantes dos polifenóis, como catequinas e flavonoides, diminuindo os efeitos causados pelos radicais livres e compostos oxidantes.

Inclua fibras no cardápio
Além de ajudar a manter o funcionamento do intestino regular, as fibras também possuem a vantagem de prolongar a sensação de saciedade e, por isso, vale investir no consumo de fibras durante as refeições. 
Uma dica é trocar o arroz branco pelo integral ou outras opções,  como sete grãos ou com quinoa. Mas também podemos salpicar sementes de chia e linhaça em sopas e caldos, pois, além de ricas em fibras, elas também possuem ômega 3, que é um ácido graxo com ação anti-inflamatória essencial na alimentação diária.

Hidratação
No inverno, não sentimos tanta sede, mas o consumo diário de água deve ser mantido. Afinal, a água desempenha um papel fundamental para o organismo. Ela garante o bom funcionamento dos rins, permitindo a regulação da temperatura corporal, hidratando as células e a pele. 

Deixe sua opinião