No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

A promoção de saúde através do mindfulness
Publicado em 12/09/2019

Folha Saúde

Foto: Reprodução/FS

Em pleno setembro amarelo, em que debates sobre saúde mental estão em voga, o caderno Saúde traz o tema mindfulness. Atualmente, muito se fala sobre isso, mas muitos ainda não sabem diferenciar esta técnica da meditação que já conhecem. Afinal, o que é mindfulness? Descubra nesta edição.

Mindfulness: sua mente, seu mundo

Estamos no mês de setembro. Época em que se debate diversas questões motivadas pela campanha Setembro Amarelo, criada para conscientizar e mobilizar a sociedade brasileira pelo combate ao suicídio e que também realiza ações para promover a saúde mental. 
Na semana passada, a edição do caderno Saúde, fez uma introdução da importância do bem-estar mental com o tema direcionado às crianças. Nesta edição, abordamos o mindfulness, técnica que é muito mais do que uma simples meditação e vem sendo tratada como uma poderosa ferramenta para a promoção da saúde, conceito que vai muito além da ausência de doenças, e compreende qualidade de vida e bem-estar nas pessoas e na sociedade como um todo. 
Para as psicólogas Michele de Paulo Kaé, Maíra Maçãs e Daniela Sopezki, que trabalham com as práticas de mindfulness, tanto no contexto clínico, para o tratamento de estresse e ansiedade, quanto no âmbito escolar, visando o desenvolvimento emocional e comportamental, mindfulness é um estado psicológico. Esse estado promove o desenvolvimento de autoconsciência. Segundo elas, quando nos tornamos mais conscientes da nossa realidade, interna e externa, conseguimos responder a ela de modo mais inteligente e criativo, rompendo com padrões reativos, impulsivos e condicionados.
As profissionais acreditam que, podemos aderir uma postura atenta ao momento presente por meio da observação e a autorregulação atencional e emocional. No senso comum, seria um melhor “controle” da atenção e das nossas emoções, com autocompaixão. “Nossa atenção é constantemente capturada por pensamentos e estímulos externos. Esse funcionamento distraído nos faz perder tempo e energia consideráveis. Com o treinamento de mindfulness e de autocompaixão, mesmo em circunstâncias difíceis, abre-se espaço para que possamos fazer escolhas mais saudáveis em nossas vidas, baseadas em nossos valores e necessidades pessoais autênticas”, explicam as profissionais. 

Adotar uma postura mindful, ou seja, de atenção absoluta, ao momento presente, de maneira regular em nosso cotidiano traz benefícios concretos e atestados pelas pesquisas científicas, que não envolvem apenas a saúde, mas também a área da Educação e até mesmo um melhor funcionamento no ambiente empresarial. Apesar disso, os benefícios mais conhecidos e pesquisados de mindfulness estão localizados na área da Saúde. Entre eles: 
-Prevenção e gerenciamento do estresse e do mal-estar psicológico e desenvolvimento de bem-estar psicológico; 
-Tratamento complementar de doenças orgânicas, como a dor crônica, as doenças cardiovasculares e o câncer;
-Tratamento de primeira escolha ou complementar de doenças psiquiátricas, como, depressão, ansiedade, dependência e abuso de drogas e transtornos de conduta alimentar como a compulsão alimentar. 
As práticas de mindfulness podem ser exercitadas diariamente de maneira formal ou informal. A prática formal de mindfulness inclui, além do escaneamento mental do corpo a meditação em posição sentada com concentração na respiração, também práticas de alongamento, que exploram as sensações corporais, que objetivam vivenciar a respiração, os pensamentos e os outros conteúdos existentes naquele momento. 
A prática informal de mindfulness consiste em vivenciar situações do cotidiano, como caminhar ou lavar a louça, de maneira consciente com atenção a respiração e aos sons do ambiente, focando no que está acontecendo no momento presente. Normalmente essas práticas não demandam muito tempo do nosso dia e podem ser facilmente introduzidas nas tarefas diárias.

Quer saber mais sobre o mindfulness?

Neste sábado, será realizada a 2ª oficina de mindfulness em Bagé, ministrada por Daniela Sopezki, de Porto Alegre. Psicóloga, doutora em Saúde Coletiva, com mestrado em Psicologia Clínica e Certificada em Mindfulness for Stress Breathworks Inglaterra e membro da Iniciativa Mindfulness no Brasil, Daniela atua na condução de grupos de mindfulness para promoção de saúde e redução de estresse. 
O projeto de Daniela tem como objetivo trabalhar o mindfulness de forma ampla e criativa, para além dos protocolos e muros pré-estabelecidos. Nesse espaço, yoga, meditação, psicologia e outros saberes de sua preferência conversam entre si para convergir em habilidades potencializadoras de bem-estar, sem segregação. A proposta convida a todos para a observação do comportamento da mente e assim, notar como ela cria a realidade limitada de mundo em que vivemos. 
A oficina é a concretização de um sonho para as profissionais Michele e Maíra, que atuam na Clínica de Psicologia Michele Kaé, principalmente após acompanharem, ao longo dos anos, o impacto positivo que a atenção plena traz para a vida dos indivíduos, dos primeiros anos escolares à vida adulta.
A primeira edição aconteceu em 2018. Neste ano, o evento, que une práticas de atenção plena e autocompaixão, é aberto a toda a comunidade. “Esta oficina é para todos os curiosos em conhecer e revisitar o conceito, a variabilidade de técnicas e as novidades no campo científico, para aplicar em sua vida. As práticas de atenção plena cultivam qualidades humanas universais e não exigem que ninguém altere as crenças, o objetivo é que todos possam se beneficiar”, destacam as profissionais envolvidas na organização e realização da prática.
Para quem busca autoconhecimento e quer descobrir a trilha curiosa para dentro de si mesmo, explorar e treinar a mente para despertar os potenciais e ampliar o mundo, tem na oficina uma ótima oportunidade para isso. O evento vai acontecer no auditório da Unimed Bagé no dia 14 de setembro, das 13h30min às 17h30min. Os ingressos estão disponíveis na Clínica de Psicologia Michele Kaé, na rua José Otávio, 183, esquerda.
 

Deixe sua opinião