Momento de Reflexão - Por Giulia Rodrigues
Publicado em 18/10/2019

ConteMPorâneo

Primeiras palavras

Foto: Divulgação/FS

Olá, sou a Giulia Rodrigues, terapeuta holística e influenciadora digital (@giiusrodrigues). Este é meu primeiro texto para o jornal. Espero levar você, querido leitor, através dos meus textos, a ter momentos mais introspectivos e a olhar com mais carinho para si mesmo.
Este mês, estive em Porto Alegre participando de um workshop sobre Escrita Criativa e Afetuosa, da queridíssima Ana Holanda, autora do livro Como Se Encontrar na Escrita, e não tenho vergonha de contar que travei no primeiro exercício. Agora, vou contar o porquê. Era preciso escolher uma foto (de preferência a última tirada com o celular) e escrever um texto sobre. Simples assim. A minha escolha foi essa foto que tirei da escada do local onde aconteceu o workshop, e o que chamou a minha atenção, obviamente, foi a frase: “Não permita que a vida se passe sem teres vivido.” A Ana, minutos antes, explicou que, para um texto tocar no outro, é preciso trabalhar no profundo. Para isso, é preciso ter coragem, amor e humanidade, primeiramente, consigo mesmo, para depois ter essa ligação com os outros. Sempre achei meus textos muito superficiais. Eu era a minha maior e pior crítica. Por esse motivo, não consegui escrever lá. Pensei comigo: - “Como vou deixar a Ana ler algo tão fraco, tão superficial? Não, não, melhor nem escrever.” E travei.
Ironia ou não, só consegui terminar esse exercício, aqui em Bagé, semanas depois do término do workshop. Acabei relacionando a bendita frase da escada, com a minha dificuldade de viver o presente, de aceitar o passado e de ansiar o futuro. Você já se pegou pensando: “E se...?” ou “será...?”, pois, então...
Quando recebi o convite para escrever para o jornal, nem pensei e topei na hora, mas depois caiu a ficha e veio o medo (será que vou conseguir entregar o texto na data? Será que as pessoas vão ler? Será que vão gostar? Será, será, será...?) e as palavras da Ana, lá no workshop, ressoaram nos meus ouvidos: - “O medo faz parte do processo, só não pode deixá-lo ser maior.” É incrível como deixamos de fazer certas coisas, de viver situações, por medo e nos autossabotamos antes mesmo de tentar. (Pode ter certeza, que quase desisti de enviar esse texto também). Se identificou com o meu relato? Sente que vive preso no passado, ou anseia o futuro e esquece de viver o hoje? Sente medo antes de experiências novas? Então, no fundo sabe que precisa olhar mais para dentro, aceitar que tudo bem as coisas estarem como estão e não serem perfeitas e a viver o hoje. Só seremos aptos a isso, quando aprendermos a ser gratos por tudo o que acontece conosco, independentemente de ser bom ou ruim; e isso é um exercício diário. Se cansar, ou achar que está difícil demais, aprenda a descansar, respirar e não a desistir! Enfrente seus medos! Agora, para finalizarmos esse momento de reflexão, peço que respire bem fundo e repita essa frase mentalmente, se possível, todos os dias ao acordar: “Só hoje sou capaz! Só hoje vou ficar focado no meu caminho. Só hoje vivo a minha vida sendo grato”. Gratidão por ler até aqui. 
Até a próxima, 
Namastê!
 

Deixe sua opinião