No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

KIDS E TEENS - Capoeira na escola
Publicado em 20/03/2020

ConteMPorâneo

Foto: Francine Leite

Para uma formação integral da criança

 

A capoeira na Educação Infantil ajuda as crianças a exercitarem o corpo e a mente. Estimula a percepção, trabalha habilidades e capacidades de interpretação e organização das informações, que são muito importantes para quem está em pleno processo de construção do conhecimento sobre si mesma e sobre o mundo. Acompanhamos uma aula na escolinha O Gato Xadrez para descobrir os diversos benefícios desta prática.

Segundo o professor de capoeira, Matheus Lealdino, a atividade deve ser vista como uma brincadeira para as crianças. Na Educação Infantil, o ensino da capoeira é focado em um trabalho lúdico. A ideia é explorar os movimentos naturais da criança, com o desenvolvimento do equilíbrio, da força, favorecendo a coordenação motora, o campo visual, a criatividade, a autoestima. “As crianças aprendem a capoeira brincando. A prática ajuda em seu desenvolvimento, de forma muito completa”, elucida o professor.
A iniciação da capoeira nesta fase, no entanto, é vista como uma preparação. Lealdino conta que, em torno dos 12 anos, a criança estará pronta para conhecer, de forma mais aprofundada, este esporte. Uma aula de capoeira envolve muitas dinâmicas, o ensino de canções, de brincadeiras musicadas, de jogos, da história do Brasil, com foco também no desenvolvimento do ritmo, da oralidade, do conhecimento da arte e de cultura.
Na escolinha O Gato Xadrez, a atividade é vista como riquíssima, do ponto de vista de prática pedagógica, de ordem cognitiva, motora e afetivo-social. Voltada para as turmas com crianças entre 3 e 5 anos e 11 meses (maternal II ao Pré II), esta aula é oferecida para os alunos por uma vez na semana, e atende as necessidades de movimento dos pequenos, como uma atividade física no meio escolar. 
Os objetivos, tanto no aspecto recreativo quanto esportivo, devem contribuir para o aperfeiçoamento do indivíduo como ser social. As atividades colaboram tanto com o desenvolvimento motor quanto com a melhora dos processos de aprendizagem. Também não geram nenhuma frustração com relação à competição, pois o objetivo a ser alcançado é sempre o da autossuperação.

Deixe sua opinião