Contracapa - Viajar é preciso
Publicado em 24/01/2020

ConteMPorâneo

Foto: Reprodução/FS

O verão chegou. Por isso, vale considerar uma viagem nas férias ou em algum outro momento de 2020. O jornal Folha do Sul adverte: viajar faz bem para a saúde! "Fazer uma viagem, independente do destino, é libertador", é o que frisa o psicólogo Marcelo Motta. O profissional explica que o importante é ter um momento para sair da rotina e, consequentemente, da zona de conforto. "O que faz com que nossos níveis de adrenalina, serotonina e noradrenalina aumentem. Esses neurotransmissores são importantes, pois são eles que fazem com que sintamos prazer", elucida. 
Ele pontua que a depressão, doença considerada o mal do século, por exemplo, é justamente a baixa desses hormônios no organismo. Por isso, proporcionar momentos de prazer para si pode ser determinante para a saúde. E o psicólogo dá algumas dicas para aproveitar ao máximo as viagens e os períodos de descanso. "Para que a viagem seja um sucesso, é preciso primeiro deixar os problemas, angústias e rotina em casa. Independente do lugar que se vá, vale deixar o hábito em baixo da cama e ir leve, sem preocupações", pontua.
Motta lembra que, é claro, os problemas não desaparecem. Mas sugere que, pelo menos pelo período de férias, é importante serlibertar. "Algo como: 'deixa que o eu do futuro lide com esses problemas, agora aproveita o momento'", indica.
Seja uma viagem sozinho, em grupo ou em família, o importante, segundo ele, é valorizar os momentos e as pessoas. "Seja as que vai conhecer ou as que estão indo junto", elucida. Além disso, fazer interações sociais, se permitir,  tentar fazer coisas que não está acostumado também ajuda a tornar a experiência mais enriquecedora e prazerosa. "Comer algo diferente; ir a passeios que não está acostumado, já que está em um lugar diferente, também vai ajudar para que a viagem seja aproveitada ao máximo", indica.
Descanso é fundamental
E aqueles que não poderão viajar? A dica, enfatiza o psicólogo, é a mesma. O importante é "tentar fazer do período de férias e descanso o mais recompensador". E argumenta: "Existem várias formas de se divertir e relaxar e, também, liberar aqueles neurotransmissores". Ele exemplifica que ir a algum lugar que não faz parte da rotina pode ser uma ótima ideia. "Ir numa lanchonete que não está acostumado, ao cinema, se não é de frequentar durante o ano... Há, ainda, opções de balneários, campings ou praças. Pegar um final de semana, convidar os amigos e fazer uma reunião. Ou tentar ver algumas pessoas que gosta, mas não vê com frequência devido à correria. Ou seja, se permitir sair da zona de conforto", sugere.
A ideia é mesmo tentar fazer o que, no dia a dia, durante o ano, simplesmente não faz. "Seja até ficar em casa, maratonar uma série que há muito tempo quer ver, mas não tem tempo. Tudo isso ajuda a desestressar e a liberar os hormônios do prazer", ressalta.
 

Deixe sua opinião