Bagé / RS, Sábado, 23 de Maro de 2019
Siga-nos:

Colunistas

Anderson Ribeiro
Coluna: Editorial
Perfil:
Editorial

A valorização do jornalismo do interior


Nos dias 25 e 26 de maio, aconteceu, no anfiteatro da Universidade de Santa Cruz do Sul, evento voltado a jornalistas e acadêmicos, promovido pela Associação Rio-grandense de Imprensa (ARI). Encontro esse denominado “Diálogos ARI de Jornalismo – experiências e inovações”, do qual, com as colegas Francine Leite e Bárbara Lignon, tive a oportunidade de participar - nós como representantes da equipe do jornal Folha do Sul.
Durante o evento, vários painéis despertaram a atenção do público que lotou o anfiteatro. No primeiro dia, um dos responsáveis pelo editoria do Grupo RBS, Marcelo Rech, debateu sobre os caminhos do jornalismo e a certificação. No sábado, a carismática "querida das telinhas", com uma presença que marca no vídeo, Kelly Costa,  motivou a atenção e a curiosidade dos espectadores. Num papo descontraído, a jornalista falou sobre a sua responsabilidade como repórter da área esportiva, além de tratar sobre o “Papel social e a identidade do jornalista”. Kelly também abordou sobre o movimento #DeixaElaTrabalhar, que luta contra casos de assédio às mulheres na cobertura esportiva. Inclusive, em abril, o movimento foi tema de debate na ARI.
Uma lição que fica é que o ser humano é plural. A realidade também. A sociedade está cada vez mais complexa. Constata-se que as matérias cumprem com o papel de proporcionar uma discussão através de indagações dentro das próprias reportagens, fazendo com que o público questione o que está acompanhando, ou seja, mostrar as diversas vozes presentes em uma mesma questão e a opinião de vários especialistas sobre o mesmo tema. Cabe ressaltar a importância da interação entre veículo de comunicação e leitores/seguidores.
A segunda vice-presidente da ARI, jornalista e professora universitária, Cristiane Finger, explica que o evento Diálogos da ARI é o primeiro de uma série que a diretoria pretende realizar no RS. “Queremos levar a associação para o interior do Estado. Temos a convicção de que a imprensa e as faculdades de jornalismo do interior são muito importantes. Até então a concentração seria na capital. Conseguimos reunir palestrantes importantes e realizar um excelente evento”, relata.
Cristiane trabalhou durante 30 anos no telejornalismo e enfatiza que um dos grandes desafios é retirar os palestrantes de suas rotinas. “Estou impressionada com a participação, principalmente, de estudantes. Assim, conseguimos ter outras visões para os dilemas do jornalismo. Na capital, às vezes ficamos com a mesma adesão, questões e perguntas. É uma troca rica”, ressalta.
Sobre a participação no evento, a jornalista enfatizou o “ser jornalista”. “Em um momento como esse que o país está vivendo, todas as pessoas teriam várias justificativas para não estar aqui. Mas tivemos o auditório cheio. Isso significa paixão e talento jornalístico. O jornalismo só tem demonstrado que é cada vez mais relevante e importante para a sociedade”, comenta.
Qual o principal desafio do repórter que faz segurança?
Vários outros debates foram apresentados, porém, enquanto repórter de segurança, tive a grata surpresa e a honra de encontrar e conversar com o jornalista Renato Dornelles. Já viu um novato quando encontra um mito? Então! Não perdi a oportunidade e conversamos sobre diversos pontos que envolvem a editoria de segurança, fontes e o jornalismo, tendo em vista que Dornelles atua há 32 anos na área. Também foi exibido o documentário "Central". O filme retrata um sistema prisional que beira o caos, a partir da realidade do maior presídio do país. Dirigido por Tatiana Sager e codirigido por Renato Dornelles, o filme mostra as condições degradantes que levaram essa prisão a ser também considerada a pior do Brasil e definida como “A masmorra do Século 21” pela CPI do Sistema Carcerário do Congresso Nacional.
 “O principal desafio, certamente, é abordar o tema da criminalidade que interessa à sociedade como um todo. Quando comecei a atuar, parte da sociedade não dava importância para esse tema. Fazer um jornalismo sério, sem sensacionalismo, mas mostrando a realidade. Uma realidade que está nas ruas afetando a sociedade”, salienta Dornelles.
Durante a entrevista, conversei com Renato sobre a censura no início da sua carreira e na atualidade. “Muitas vezes, organismos oficiais tentam censurar e limitar o nosso trabalho. Mas a gente tem esse desafio de buscar informações, além do que é informado pela polícia, para chegar a uma verdade. Não que nos informem mentiras. Mas nem sempre a versão oficial é a real. O desafio é ouvir todos os lados, muitas vezes até o lado criminoso”, destaca.
Por isso, a importância de nós, jornalistas, fazermos nosso trabalho e não apenas reproduzirmos o que é passado pelos órgãos oficiais. É o que a sociedade quer e deve ser informada com seriedade e não apenas com o que os órgãos de segurança querem que saibam. Dornelles fala sobre o cuidado com a tecnologia. “Nessa área de segurança, temos que ter muito cuidado. A informação precisa ser checada. No on-line, até por competição, muitas vezes são publicadas informações sem checagem. Porém, isso pode causar um prejuízo muito grande para alguém, um grupo ou pessoas. Então, tem que ter cuidado. Tem que ser ágil, mas não se pode deixar de lado a qualidade da informação”, comenta.
É notório que as mídias alternativas tem um papel importante, mas na era do fake news é preciso ter um cuidado especial, pois também existem aqueles que utilizam as redes sociais para passar notícias falsas.
A ARI está de parabéns pelo evento promovido. Por mais eventos como este que, além de valorizar os profissionais jornalistas do interior do Estado, é uma excelente oportunidade para estudantes sanarem dúvidas sobre diversos temas. A equipe da Folha do Sul busca, sempre, a capacitação de seus colaboradores e o compromisso com a informação de qualidade. Vida longa a ARI e ao jornalismo!

Comente essa notícia
Clique TV
IMPOSTO DE RENDA | DICAS, MITOS E VERDADES
Assista também:
Carnaval| Café com a Redação
Clique Social

Coluna Social

Divulgação/FS

LEMBRAM quando comentei aquele evento gastronômico musical do consulado do Uruguai no Imba, nos anos 90? Naquela época, a cônsul era Suzana...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.