Bagé / RS, Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Siga-nos:

Colunistas

Eduardo Mauch Palmeira
Coluna: Opinião
Perfil: Economista
Opinião

Política industrial (Parte I)

Política industrial é a ação governamental sobre as condições gerais que conformam o ambiente econômico, interferindo no desenvolvimento industrial de forma indireta, ou seja, a política industrial envolve as orientações para as condições de infraestrutura física, educacional e de ciência e tecnologia, as diretrizes governamentais mais gerais para a indústria e até mesmo a política macroeconômica, entre outros aspectos que interferem, de forma importante, porém indistinta, sobre o setor industrial.
Outro conceito encontrado para política industrial é a forma de coordenar ações estratégicas de governo, empresas e instituições visando ao desenvolvimento de determinadas atividades ou à solução de problemas identificados por esses fatores no setor produtividade da economia, tais como: incentivos fiscais, investimentos em pesquisa e desenvolvimento; créditos subsidiados; intervenção direta do governo no processo produtivo, parcerias públicas privadas e criação de zonas francas e de processamento para exportação.
Geralmente, a política industrial vem acompanhada de ações complementares na área de comércio exterior e de tecnologia. Isso porque, nos dias atuais, a tendência é de crescente participação das economias no comércio internacional, vale dizer, no processo mundial de produção e circulação de mercadorias e serviços. Pressupõe-se, então, a adequação da produção nacional, ou, pelo menos, de parte dela, ao comércio internacional, no sentido de produzir aqueles bens que apresentem maior competitividade em relação aos demais produtores.
A tecnologia, por sua vez, é um fator de produção tão importante quanto o capital ou mão de obra. A tecnologia de produto ou processo produtivo irá determinar, em grande parte, a capacidade competitiva dos produtos no comércio internacional. O desenvolvimento e a absorção de tecnologia compõem um dos pilares do desenvolvimento da indústria de um país.
O alvo central da política industrial deve ser a melhora das condições gerais de competitividade, com a redução do tempo de aprendizado necessário ao incremento qualitativo da produção industrial do país e com a criação de um autêntico sistema nacional de inovação.
A política industrial, no Brasil, deveria ir além das abordagens clássicas. Grande parte do sucesso das empresas no mundo está em sua capacidade de inovar, criar identidade e de ser flexível, e o governo poderia ter um papel importante na coordenação desses esforços.
Existem três abordagens na discussão sobre o uso de recursos públicos na economia. A primeira, o uso na correção de falhas de mercado, ou seja, são políticas válidas, políticas que reforcem a lógica de mercado e existem as falhas de governo. A segunda é a constatação que existem falhas de estrutura, ou seja, quando falta oferta, os preços sobem; quando sobra, os preços caem - ela só é viável se for respalda por uma política fiscal sólida, se os juros altos têm de compensar a falta de uma política fiscal mais sólida, não dá para fazer nada. A terceira parte do suposto de que as empresas são diferentes entre si e de que essa diferenciação, capacidade de inovação e flexibilidade são vitais da competição, especialmente em economias abertas.
Embora seu foco seja a indústria, a política industrial tem uma área de abrangência necessariamente ampla. Afinal, o desempenho das empresas industriais é afetado por tributos, taxas de câmbio e taxas de juros, por medidas nas áreas de comércio exterior, financiamento, incentivos fiscais e regulação, e por problemas de infraestrutura e do sistema ciência, tecnologia e inovação.

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 6 de 6 resultados encontrados
  • 13/12/2017 - Opinião

    Política industrial (parte II)

    O Brasil, ao longo das últimas décadas, introduziu diferentes modelos de política industrial, vejamos os últimos três utilizados por nosso país, veremos que são completamente diferentes um do outro, cada um com seu foco bem diferenciado.
    Até o final da década de 80, a política industrial, era...
  • 29/11/2017 - Opinião

    Chegou o final de ano

    É, pessoal, chegou o final de ano, e "dele" gastos: aí vem o IPVA, o IPTU, a rematrícula do colégio ou da faculdade dos filhos, além dos gastos normais de festas de fim de ano.
    Já tem gente fazendo a lista de presentes para os parentes (e como tem parente!). Sem falar nas listas de “amigo...
  • 15/11/2017 - Opinião

    Busca por tecnologias

    Economista e professor

    Por tecnologia entende-se o conjunto de todos os conhecimentos científicos, empíricos ou intuitivos empregados na produção e comercialização de bens e serviços; portanto, gestão da tecnologia passa por know-how da tecnologia, a maneira como se administra esses...
  • 25/08/2016 - Opinião

    Vida pessoal versus profissional

    Economista

    Um dos cinco fatores de produção da economia é a mão-de-obra, assim, a busca por profissionais qualificados no mercado de trabalho está cada vez maior, sendo que, na maioria das vezes, as empresas não têm recursos para investir em treinamentos e capacitações, por isso, estar...
  • 19/08/2016 - Opinião

    Ano de eleições municipais

    Economista

    É chegada a hora de podermos observar nossos candidatos a vereador e prefeito. O município é, no meu entendimento, o ente federado mais importante, onde realmente tudo acontece, e, dessa forma, somos os responsáveis por elegermos os melhores representantes para legislá-lo e...
  • 06/01/2016 - Opinião

    Empregabilidade e atender bem

    Muito se fala, mas o que é mesmo essa tal empregabilidade e bom atendimento? Vamos tentar dar umas dicas.
    A empregabilidade é um tema muito dinâmico e a lista de pré-requisitos imprescindíveis para ser desejado pelo mercado cresce continuamente. As competências essenciais vão se tornando cada...
Exibindo 1 a 6 de 6 resultados encontrados
Clique TV
Novo Polo na Tterrasul
Assista também:
Casa & Conforto
Clique Social

Coluna Social

Divulgação/FS

MEMORIAL DA ÁGUA, outro espaço público para os bageenses usufruírem em momentos de festa e lazer. Vai receber visitantes nos fins de semana, aos...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.