Bagé / RS, Domingo, 21 de Outubro de 2018
Siga-nos:

Colunistas

José Brasil Teixeira | Porto Alegre/RS
Coluna: Opinião
Opinião

Uma coisa que "só vendo"!

O doutor José Ovídio Funari, emérito cardiologista e pescador, e por isso mesmo dotado de excepcional capacidade de contar histórias misturadas com sua fértil fantasia e sendo, ocasionalmente, um pouco desafeto da realiadade (me compreendem?), é também um exímio cartunista e chargista enrustido que já tentei atrair para as páginas de jornal e cuja resistência, oriunda da sua humildade e cabula, ainda tenho que vencer.
O referido esculápio, aliás, somente pelo fato de ter atraído para Bagé, com seus belos olhos cor de mel, a dra.Maria Rosália, que a todos encanta, principalmente aos seus doentes - e com quem forma um par ímpar -, só por esse fato já merecia ter recebido o título de Cidadão Bageense, para o que uma comissão popular vai indicá-lo, além, é claro, pelas suas outras condições pessoais.
Pois esta história de hoje me foi contada por ele sem pedido de sigilo e não posso deixar de dar difusão pelo seu ineditismo, acontecida que foi no interior do seu município de origem, a vizinha cidade de Pinheiro Machado. Lá mora um outro contador de lorota, pequeno produtor rural, um solteirão à cata de um cobertor de orelha pro inverno, vivente e até sobrevivente de aventuras variadas que só vendo. Daí o seu apelido, o Sovendo. Pois, o Sovendo, num sábado à noite, findo o trabalho e encaminhadas todas as coisas do fim de semana, tomou um banho bem esfregado, botou uma calça reta, camisa de cetim de cor bem viva, se empapou no"Amor Gaúcho" e se foi para um bailão nos arredores da cidade. Lá chegando, teve uma prosa com os conhecidos enquanto passava o olho no plantel das moças, ao mesmo tempo que tomava uma "Brama" para descontrair. Logo partiu pra bailanta; o que fez com várias moças, pensando numa dessas encontrar o seu amor não muito exigente. Mas também não aceitava refinadas porcarias. Até que, da metade para o fim do baile, começou a lhe chamar a atenção uma mocinha de rosto muito bonito que fazia "crochê" num canto do salão. Ele, enchendo-se de coragem com mais um trago, foi tirá-la para dançar, sem a devida desconfiança de que se a moça estava até aquela hora sem par, por algum motivo seria. Mas caiu nas malhas de seus olhos que já olhavam insistentemente para os dela. Qual não foi sua surpresa quando chegou frente à moça: a mesma não tinha as duas pernas, amputadas que haviam sido acima da meia-coxa. E, se com uma só perna amputada se chama "coxa", aquela seria, então, uma "bicoxa".
Porém, não perdeu a linha nem a viagem, visto que o que restava ali na sua frente não era de se jogar fora. Quando se agachou para cochichar o convite para dançar, a moça, mais que ligeiro se enroscou no seu pescoço como que a sugerir como dançariam, e ele, passando um braço por baixo do sovaco e outro abraçando a sua bunda redondinha, saiu bailando feliz, o que fizeram bem agarradinhos até o fim da noite.
Findo o baile, o Sovendo não pode deixar de oferecer  carona para a moça no seu modesto "Fuca 68" - mas em condições de rodar com cuidado -, o que ela aceitou. No trajeto, ela, que pelo seu defeito não deixava de ser fogosa, deu de mão no joelho do Sovendo e logo depois descambou pelo entreperna do índio, que se arrepiou todo. Já no terreiro da casa onde morava a dita - já vinham aparecendo as barrras do dia - o Sovendo, parando o carro, perguntou a ela como fazer para manterem relações ali mesmo. Ao que a "bicoxa" sugeriu que ele pegasse uma corda que estava em tal lugar e a erguese pelo sovaco num galho de árvore e assim conseguiriam ficar do mesmo tamanho e na devida altura, já que a relva estava molhada e não poderiam se molhar ou se sujar no chão. Aceita a sugestão criativa, a moça foi pendurada pela meia espalda e se serviram um do outro daquela forma surrealista.
Nisso, abre a porta da casa, era o pai dela ainda meio no luscofusco do amanhecer. O Sovendo já vinha desamarrando e baixando a "bicoxa", no que se apressou mais ainda, já pensando numa desculpa para aquele proceder com a filha do cidadão.
- O senhor me desculpe, mas é que...
- Não, que nada, isso já aconteceu antes com ela, fique tranquilo. Mas eu é que lhe agradeço a educação e a gentileza, porque dos últimos 10 que usaram desse método com ela, o senhor é o primeiro que teve a delicadeza de afrouxar a corda...

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 98 resultados encontrados
  • 20/10/2018 - Opinião

    O incômodo

    Existem manifestações humanas emanadas de ordenamentos biológicos e que criam normas, inclusive, sociais, contra as quais é inútil teorizar e rebater por que a gênese que as motiva lhes concede uma potente condição imperativa. Alimentar-se por que a fome nos comanda, procriar para conservar a...
  • 15/10/2018 - Opinião

    Dormir mal

    A verdadeira dimensão dos danos ocasionados pelos distúrbios do sono, que são muitos, talvez pudessem ser aproximadamente bem avaliada se comparada a dimensão de alguém que queixasse que nunca consegue acordar ou que acorda durante não mais que duas, três horas por dia. Já pensou o transtorno?
  • 06/10/2018 - Opinião

    Depressão magistral

    Segundo recente pesquisa tornada pública, as frequentes queixas de sintomas psicossomáticos ocorrentes em professores do ensino fundamental e médio poderiam ser atribuídas ao stress - vala comum para sofrimentos vagos ou escondidos e pouco definidos - mas que merecem uma análise mais acurada,...
  • 29/09/2018 - Opinião

    Doação de órgãos, sua evolução e seu percalço

    José Brasil Teixeira-Médico

    No longo trajeto percorrido na questão dos transplantes, desde o dr. Barnard aproximados 50 anos atrás quando fez o primeiro transplante de coração na África do Sul, passando pelo dr. Zerbini, pioneiro no Brasil, até o estado atual que coloca o nosso Estado em...
  • 22/09/2018 - Opinião

    A responsabilidade  do ídolo

    José Brasil Teixeira-Médico 
      Vivemos em um tempo no qual é muito fácil tornar-se e, muito mais que isso, ser feito ídolo de massas e já com polimento. A mídia escrita, falada e televisada e a exposição massiva e frequente, associada à sugestão de excelência que é feito cérebro adentro de...
  • 15/09/2018 - Opinião

    Neurociência e violência



    José Brasil Teixeira - Neurologista 
    Em que pese os retrocessos como parte integrante dos nossos caminhos, é notório para muitos deles onde a humanidade caminha para a frente, com espetaculares avanços que a tornam mais viável à cidadania, à civilidade, à saúde, à...
  • 07/09/2018 - Opinião

    Raízes da corrupção

    José Brasil Teixeira-Médico   Aquilo que é parte da cultura de um povo, de uma sociedade ou de um país, de tanto ser repetido no dia a dia das pessoas, por habitual passa a ser normal. Quando algo é feito com regularidade nos universos – quarteirão, bairro, nas faixas da sociedade, nas...
  • 01/09/2018 - Opinião

    A arte ideal da política


    José Brasil Teixeira -médico   À conduta humana, pessoal e/ou coletiva, bastariam as tábuas de Moisés a balizar os atos de relação do universo interpessoal e seu entorno, pois nada mais são do que tábuas de princípios comuns, morais e éticos. Da mesma forma, nos códigos que regem...
  • 20/02/2015 - Opinião

    Verídicas!


    Principalmente esta primeira, que um informante idôneo me ligou para contar. Aconteceu na Terra do Ouro, que, como se sabe, já forneceu personagens insólitos e fatos não menos verdadeiros.
    Há pouco dias chegaram no Pronto-Atendimento do hospital daquela cidade, uma avó e uma mãe apavoradas,...
  • 13/02/2015 - Opinião

    A turca Glória

    A vida noturna menos sóbria em Bagé, num tempo que se pode chamar ainda de contemporâneo para quem está na casa dos sessenta e muitos, como eu, conheceu alguns pontos principais na zona do meretrício, que desapareceu por falta de razão de ser, quando essa zona era situada na "baixada". Pontos...
Exibindo 1 a 10 de 98 resultados encontrados
  • Página de 10
Clique TV
Óptica Bagé - Dia dos Pais
Assista também:
Santa Edwiges - Dia dos Pais
Clique Social

Coluna Social

Divulgação/FS

SONHOS e realizações, título do texto que  Ana Maria de Souza Delabary escreveu para saudar a sua amiga e professora Lia Rejane Mendes Barcellos,...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.