Bagé / RS, Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017
Siga-nos:

Colunistas

Antônio Almeida | Bagé/RS
Coluna: Cultura
Perfil: Autor de crônicas, possui influências trazidas da Oficina Literária de Alcy Cheíche. Comunicador, já teve passagem pela RBS TV e veículos de comunicação da cidade.
Cultura

Nada a esperar

Sempre que um ano termina surgem aquelas fatídicas avaliações. A gente pensa dali, pensa daqui e, de repente, começa a perceber que, na maior parte das vezes, corremos feito condenados, giramos mais do que enceradeira, discutimos por idiotices e, no final das contas, se a contabilidade for muito bem feita, chegamos à triste conclusão de que muito pouco avançamos, que as determinações tomadas como meta não foram muito além de meras projeções e que,no final da história, acabamos, quase sempre, reescrevendo a mesma receita. Algo como se a vida se resumisse a um grande passe de mágica onde, jogando tudo para dentro do liquidificador do novo ano, assim, no vapt-vupt, tudo pudesse ser zerado e ficar funcionando como um carro saído da fábrica. Isso pode ser bonito mas a verdade é que a realidade é bem mais dura e cruel.
Ei, não pensem que sou contra fazer planos. Particularmente, já fiz muitos; alguns, poucos, aconteceram, uns estiveram à beira de ser realizados, enquanto outros naufragaram em águas profundas. O problema dos planos, quando os traçamos, não é o plano propriamente dito, mas sim o planejamento. Esse tal de verbo planejar é complexo, misterioso, incógnito, desafiador e porque não, extremamente traiçoeiro. O plano, nós até fizemos, mas a execução independe da vontade do planejador. Afinal, as equações envolvidas nesse processo possuem uma infinidade absurda de variantes e equações, por mais estranho que possa parecer, inexatas.
Por essas e outras é que, em 2017 não encarei a questão que envolve planejamento, sonhos e perspectivas. Este ano, vai ser um ano e não vai passar disso. Que as coisas aconteçam da forma que tiverem que acontecer. Se for para chorar,que as lágrimas possam percorrer o leito que já sulcaram no rosto, se for para rir, que o riso seja farto; se houver tristeza,que seja passageira, e, se a felicidade chegar, que seja duradoura.
Este ano não quero surpreender, quero ser surpreendido. Não vou pensar no futuro e talvez faça algumas aulas de revisão com o passado. Releituras ampliam o conhecimento, são como recuperações para ajustar a média e trazer, quem sabe, conhecimentos não assimilados em períodos normais. Que 2017 seja o ano do presente, das boas surpresas e de alívio no coração.

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 218 resultados encontrados
  • 19/01/2017 - Cultura

    Oferta duvidosa

    Outro dia, em uma dessas peregrinações nos mercados, percebi o quanto a vida, ou melhor, o ato de comer, limpar e cuidar da higiene, está realmente pela hora da morte. Há algum tempo não percebo mais aqueles verdadeiros saques às prateleiras, os carrinhos que mais pareciam caminhões de carga e...
  • 12/01/2017 - Cultura

    A Mão do Analista

    Esta semana, entre um mate e outro, encontrei o Analista de Bagé na Praça da Estação. Sei lá por qual motivo, mas a grande verdade é que sempre tive um pé atrás com esses profissionais que lidam com o tal de consciente e inconsciente dos outros. Eles olham as pessoas de um jeito diferente que...
  • 29/12/2016 - Cultura

    Tchau pra ti, 2016

    Antônio Almeida
    av_almeida@yahoo.com.br

    Sei lá, 2016 não foi um ano bom. Por isso, antes que ele me nocauteie, aproveitando o seu curto tempo de vida, vou ficar na manha ou, como dizem, só pela finaleira. Para evitar de beijar a lona, o jingado vai pegar pra valer, esquivas estratégicas...
  • 22/12/2016 - Cultura

    Uma carta para o Papai Noel

    Não acredito em contos da carochinha, coelho da Páscoa, duendes, gnomos, datas festivas e essas coisas todas que o imaginário popular colocou em prática ao longo dos anos.
    Por não usar roupas da grife radical, nunca fecho uma questão por completo. Sempre deixo pelo menos uma basculante aberta...
  • 15/12/2016 - Cultura

    Razão, proporção e sentimento

    Minha relação com os números nunca foi lá essas coisas. Aliás, devo confessar que o lado lógico e matemático do meu cérebro é absurdamente ilógico. Sofro por antecedência quando surge qualquer questão, ainda que futura, relacionada a algum tipo de problema envolvendo sinais de mais ou menos,...
  • 08/12/2016 - Cultura

    Males do coração

    Na verdade nunca entendi o coração. Não sei como uma coisinha que pode pesar, no máximo, trezentos e cinquenta gramas pode mexer tanto com um ser humano. Dia desses a pressão andou ultrapassando os limites da dita razoabilidade e chegou a um patamar que melhor nem falar. A taquicardia pegou e...
  • 01/12/2016 - Cultura

    O futebol da vida

    Esta semana, bem que o juiz da partida poderia ter marcado pelo menos um impedimento, um lateral ou até mesmo interromper o jogo para tirar aquele fanático torcedor, camisa 12, que resolveu entrar no campo e dar uma demonstração das habilidades relacionadas a fugas e gambetas em policiais e...
  • 24/11/2016 - Cultura

    Ensaio sobre uma conversa com Manoel

    Dia desses, assim, sem nada para fazer encontrei Manoel, dando uma banda, ali, na Praça da Bandeira. Papo vai, papo vem, me disse ele que andava triste, cansado com o rumo das coisas neste mundo de modernidades e falsidades tantas.
    Não que queira reclamar ou mesmo deter a bruta força desse moço...
  • 17/11/2016 - Cultura

    Um dedo de preocupação

    Tá certo, o novembro é azul, o céu é azul, o Grêmio pode pintar o Brasil de azul, enfim, está tudo azul. O problema é que por conta desse azul todo tem muito gaúcho macho que anda mais vermelho que alemão durante um sol de janeiro.
    O motivo? Bem o motivo é um só e os mais antenados, para não...
  • 10/11/2016 - Cultura

    Aniversário

    Tá certo. Eu não gosto de puxa-saco, mas até que uma puxadinha de saco, levinha, despretensiosa, quase carinhosa, não chega a comprometer de todo a afirmação. Em condições assim, especiais, esse tipo de ação até dá um up naquele que tem o saco puxado. Ele fica mais alegre, mais feliz, abre um...
Exibindo 1 a 10 de 218 resultados encontrados
  • Página de 22
Enquete

Com a crise econômica que assola o país, muitas das novas administrações municipais estão revendo o repasse e de recursos e a própria realização dos carnavais em suas cidades. Em Bagé, ainda há indefinição sobre o carnaval de rua deste ano. O jornal Folha do Sul pergunta ao internauta se é favorável à realização neste ano da folia, mesmo com as contas municipais apresentarem uma série de problemas já divulgados na imprensa.

  • NÃO. A cidade precisa, primordialmente, resolver problemas estruturais, como recuperação de vias e projetos, bem como nas áreas de saúde e segurança, por exemplo. A festa é válida, mas neste momento, o município deve focar em ações para a retomada de seu crescimento, com a festa retornando maior em 2018.
    ( 90.6% )
  • SIM. O carnaval é a grande festa popular da sociedade. Mesmo que o município esteja enfrentando uma crise, como outras do passado, não se pode negar um evento tradicional e cultural, mesmo que este seja realizado com maior simplicidade.
    ( 9.4% )
Ver resultado parcial
Quero votar
Clique TV
Show - Guri de Uruguaiana - Bagé
Assista também:
Operação "Lenhador" prende homem acusado de liderar o tráfico de drogas na região da Campanha

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.