Bagé / RS, Domingo, 26 de Maio de 2019
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

Os três poderes têm direitos e o povo paga

A Constituição determina que os três poderes possuem administração própria com independência entre si. Até aqui, é o sistema democrático que determina o que é salutar. O dinheiro que sustenta as máquinas sai do mesmo bolo. A arrecadação retira do bolo os recursos dos estados e municípios, onde o bolo mais cresce. Cada um tem seu percentual determinado por lei. A mesma coisa são os recursos que o Legislativo e Judiciário têm que receber. Porém, e aqui vai a diferença, os estados e municípios recebem seus percentuais tendo por base a arrecadação. Já o Legislativo e, creio, o Judiciário recebem baseados em seus orçamentos. Mesmo que a arrecadação diminua o “deles” segue o mesmo (deixo a ressalva para o Judiciário, que não sei se segue o padrão Legislativo). O gasto com o Congresso é algo que deixa os pelos do “careca” em pé. Eles seguem gastando uma babilônia de nossos impostos. Já ultrapassaram a R$ 170 mil, per capita, o gasto individual mensal de cada um de nossos representantes. Não tem nada de ilegal, porque as leis são os nossos representantes que aprovam. Mas, pelo menos, o controle de gastos dos deputados seria a mesa diretora da Câmara que deveria controlar. Ora bolas, recebem em cima do que não arrecadam. Isso tem que terminar. Basta enquadrar o percentual que cada poder tem direito e repassar em cima do que for arrecadado. Pronto, estaria mais que justo, assim como acontece com estados e municípios. Enquanto isso, cada governo que se estabelece tem como meta diminuir a máquina e o gasto público. Mas depende do Congresso também seguir o mesmo formato. O tema veio a calhar com a matéria que li no CB (Correio Brasiliense) de ontem. Leia: "Maior estouro do Teto vem do Judiciário. Além da Justiça do Trabalho, outros cinco órgãos do Poder precisaram de auxílio do Executivo para conseguirem cumprir a regra que limita o crescimento das despesas". Prestem atenção: “O excesso dos órgãos do Judiciário preocupa, já que eles ainda terão de incorporar neste ano o custo do reajuste de 16,38% nos salários dos juízes, aprovado em 2018”. Isso quer dizer que, além do que recebem do “bolo” nacional, que é Constitucional, todos os órgãos do Judiciário consumiram R$ um bilhão e duzentos milhões, a mais do caixa do governo. O Ministério da Economia tratou de minimizar o problema ao afirmar que o excesso está previsto no planejamento dos órgãos que deixou uma reserva para o aumento de gastos. Reserva, se diga de passagem, do tesouro nacional, ou seja, dos impostos pagos por nós, consumidores. Segundo a matéria, a equipe econômica vê o tema com apreensão e há a avaliação de que alguns órgãos não estão usando o período de três anos durante o qual a compensação é permitida para se enquadrar definitivamente ao teto. O diretor executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado, Felipe Salto, alerta que o teto precisa de "medidas complementares" para ser efetivo, o que inclui o controle das despesas obrigatórias. Para ele, os órgãos podem suspender contratações e reajustes até segunda ordem. As despesas obrigatórias precisam entrar numa dinâmica mais condizente com esse crescimento do teto pela inflação. Há legitimidade em aprovar reajustes, o problema é que as contas públicas estão chegando a uma espécie de sinuca de bico. Se adota de um lado uma regra tão restritiva quanto o teto e, de outro, expande o gasto. Porém, uma hora essas duas coisas vão se chocar”.
Vão não, já se chocaram. Como pode algum empresário, que queira sobreviver a guerra comercial do dia a dia, aumentar as despesas com a arrecadação em baixa? Não pode, ele aumenta somente o desemprego. Um tal de “Observatório Fiscal” da Fundação Getúlio Vargas (FGV) por meio do economista Manoel Pires, que é seu coordenador, alerta que "é preciso negociação política em torno das medidas de ajuste dos demais poderes". "Não tem como ter reequilíbrio só de um lado". Seria simples, cada vez que o governo corta recursos de seu orçamento, deveria atingir os demais órgãos. Deveria, mas não faz. Só com pressão popular. Concordam ou não?

Prefeitura do Rio confirma o óbvio
Nada mais do que já se sabe há muito tempo. Só não queriam confessar. A pressão fez vir a público. Leia: “Carnaval no Rio chega ao fim com sete milhões de foliões nas ruas e receita de R$ 3,7 bilhões”. Isso no Rio, fora em São Paulo que ultrapassou dois bilhões. Em outros estados e municípios  a arrecadação foi monumental para o bolo nacional. Coloque na cabeça: carnaval é um bom negócio. Então, tratemos a maior festa brasileira como investimento, cujo retorno é garantido. E estamos conversados. Concordem ou não?

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1962 resultados encontrados
  • 24/05/2019 - Política

    Agora sim os homens se entendem

    Toda a decisão, política ou não, necessita ser muito bem explicada, com números, para que a maioria da população entenda. As reformas propostas pelo atual governo, nunca conseguiram convencer embora tentada em outros governos. Faltava uma coisa importante: Debate público entre os prós e os...
  • 23/05/2019 - Política

    É claro que hoje pode ter mudado

    Mas na terça-feira o tema foi a alta da bolsa e a baixa do dólar. Hoje é quinta-feira, portanto, ontem, quarta, eu não acompanhei as informações sobre o mercado financeiro porque estava em Sapucaia do Sul, transmitindo com o “time do rádio” da Visão Geral, Guarani e Sapucaiense. Resultado na...
  • 22/05/2019 - Política

    Eleição municipal movimenta a política

    Toda a eleição reforça a democracia. Todas são importantes. Agora, para mim, a mais importante é a do próximo ano. Sou municipalista por convicção. Tudo se resolve nos municípios. É claro que a regra geral emana do Congresso. Da Constituição brasileira. Projetos que visam crescimento da...
  • 21/05/2019 - Política

    Na semana passada só deu Bolsonaro

    No dia 18, quando apareceu nas redes sociais um texto, até então de autor desconhecido, cuja afirmação é forte e pesada, porém, se aproxima da realidade. “O país é ingovernável fora dos conchavos e que o atual governo é atípico e de comunicação amadora”. O presidente, ao ser interpelado sobre a...
  • 20/05/2019 - Política

    Os governos tomam conta do que é bom

    Nossa prática é conhecida, não só na administração pública como na vida privada. Vamos começar pelo futebol. Quando um craque desponta sempre aparece quem o descobriu. E aí começa a discussão: Não foi você, fui eu. Eu estava no jogo da escola que leciono quando vi um menino magricela que me...
  • 18/05/2019 - Política

    O impasse segue entre governo e Congresso

    Quem manda mais? Ou quem quer mandar mais? Em democracia todos os setores são importantes desde que haja respeito. Não é o que temos sentido na política brasileira. Governo e Congresso estão em permanente conflito há um bom tempo. Isso acontece sempre que o povo elege um Executivo, mas não lhe...
  • 17/05/2019 - Política

    Tudo depende do lado que o vento sopra

    Um pouco da história política recente foi levantada pelo Jornal do Brasil, na edição de ontem. E a bola da vez é o juiz federal Flávio Nicolau, que determinou a quebra de sigilo do senador Flávio Bolsonaro. A “dita” esquerda está radiante, porque atinge diretamente o presidente da República....
  • 16/05/2019 - Política

    Outra vitória do movimento popular

    Sempre fui crítico de gestões na saúde. Como tal, acompanhei o movimento popular que transformou o atendimento para as pessoas, que evoluiu 50 anos, após a criação do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede), coordenador com os municípios da Consulta Popular. Foi o aproveitamento de tal...
  • 15/05/2019 - Política

    Coincidências geram desconfiança

    Quase no mesmo dia, na mesma semana, com certeza, alguns fatos têm despertado atenção dos mais atentos. Um deles, de Flávio, filho de Bolsonaro, senador da República. Foi um dos primeiros nomes ligados ao presidente, acusado por ter participação, como incentivador, nas milícias do Rio. Deu...
  • 14/05/2019 - Política

    Lula continua sendo notícia

    Após intensa luta na Justiça, o ex-presidente teve o momento (mais um) de glória ao ser concedida a permissão para dar entrevista à Folha de São Paulo e ao jornal El País. Outros órgãos de imprensa quiseram entrar na coletiva, o que foi negado pela justiça. Afinal de contas, quem tinha “brigado”...
Exibindo 1 a 10 de 1962 resultados encontrados
  • Página de 197
Clique TV
OPERAÇÃO SÃO CRISTOVAN | POLÍCIA CIVIL BAGÉ
Assista também:
OPERAÇÃO EMBOSCADA | POLÍCIA CIVIL
Clique Social

Coluna Social

“Os ideais que iluminam o meu caminho são a bondade, a beleza e a verdade”
Albert Einstein
 
3Gurias: 10 anos de alta moda
Elas são sucesso!...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.