Bagé / RS, Segunda-feira, 18 de Maro de 2019
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

QUEM NÃO SEGUIR AS REGRAS ESTÁ FORA

Embora a política seja a base de tudo, o que se nota no atual governo da União é exatamente o oposto de governos anteriores. A perseguição por um objetivo, tentar sanar as finanças do país, está sendo seguida em todos os sentidos. Concordemos ou não com a maneira pelas quais estão sendo conduzidas as negociações. Aí já entra a velha rixa “oposição x situação”. O governo Bolsonaro não está arrefecendo na luta para conseguir implantar seu projeto de governo que tem por base a diminuição da máquina e do gasto público. Para tal, não tem conversa: “escreveu, não leu, o pau comeu”. Eu não lembro, pode até ter acontecido, de um homem público ser exonerado de suas funções em menos de uma semana após ser nomeado. Os leitores lembram? Alex Carreiro, nomeado, dia 3 de janeiro, para a presidência da Apex (Agência de Promoção de Exportações e Investimentos), ligada ao Ministério de Relações Exteriores, tomou uma decisão sem sequer comunicar ao ministro Ernesto Araújo. Se ele quis mostrar forças, caiu do cavalo. Quatro dias após ser nomeado, encheu a camisa de vento, demitiu 17 funcionários e convocou 11 pessoas aprovadas no concurso público realizado em dezembro passado. O governo havia dado liberdade para os ministros demitirem os CCs e contratados, coisa que aconteceu na primeira semana, causando a demissão de quatro mil funcionários pela Casa Civil. Acontece que o demitido, ex- presidente da Apex não é ministro da área. Quis mostrar força, ao passar por cima do ministro, mas acabou bailando. Já foi nomeado outro presidente, o embaixador Mário Vilalva. Vai servir como advertência aos demais componentes do governo. Deve ter surpreendido os “políticos de carreira”. O importante é que, segundo declarou o presidente demitido, sua decisão resultaria em economia de R$ 6 milhões por ano. A conferir se será mantida pelo ministro. Afinal de contas, diminuir a máquina e o gasto público é uma das metas do atual governo. No que penso, está certo. Concordam. 
 
EQUIPE ECONÔMICA USA PENTE-FINO NOS GASTOS
Muitas vezes, neste espaço, foi abordado o babilônico gasto com aluguéis, nem sempre ocupados por órgãos da União. Durante a transição, o governo atual fez muitas consultas, para saber onde encontraria um “terreno minado”. O Tribunal de Contas da União revelou para a equipe que certos “órgãos do governo pagariam, em menos de três anos, o valor relativo ao imóvel construído”. Agora, ficou tudo nas mãos do ministro Paulo Guedes. Ele está passando pente-fino em todos os contratos de locação. Já imaginaram uma coisa deste tipo na iniciativa privada? Não tem como imaginar. Isso só acontece quando o “dinheiro não é dos dirigentes políticos”. Do próprio bolso ninguém tomaria uma decisão deste tipo. Agora, como o dinheiro é nosso, que pagamos impostos, vale tudo. Dá para desconfiar (só desconfiar?) que alguém levou alguns pilas para aceitar aluguéis acima do mercado. Não é?
         
A INFLAÇÃO É CAUSADA PELOS GOVERNOS
É um tema que sempre abordo, porque é a realidade. A inflação tem como causa maior os impostos que incidem sobre os produtos. Muitas vezes, foi enfatizado que os produtos custam mais caro, pela incidência de impostos. Aqui governo nenhum escapa. Têm impostos federais formando um bolo, que parte deles vai para os estados e municípios. Há os impostos estaduais e os municipais. Os governos vivem de impostos. Então, quando sobe o combustível, a maior parcela é dos entes federativos. Entretanto, por isso mesmo, os estados e municípios não gritam. Eles levam parte do bolo. A parte que deveria ser atacada é o inchaço da máquina pública. É que chegamos no fundo do poço. Ou diminui o gasto público ou os estados e municípios sucumbem. Aliás, muitos já sucumbiram. Pois bem, na imprensa só o que se lê é o choro dos governadores, inclusive, indo de chapéu na mão pedir recursos ao governo central.  Porém, o Brasil também está “sem caixa”. É a hora de todos diminuírem a máquina pública. Ontem, li uma matéria divulgada pela imprensa, mostrando quem é o verdadeiro culpado pela inflação. Leiam:

NA CONTA DE LUZ 47%  SÃO IMPOSTOS
Para se ter uma ideia, de cada R$ 100 que pagamos pela conta de energia elétrica, R$ 47 vão para o governo central, estados e municípios. Isso não causa inflação? O bolo diminuiu porque a crise ensinou o brasileiro a consumir, buscando menor preço. Não por decisão governamental que aumentou combustível e energia elétrica. Isso, ao contrário, só trancou a “deflação” que seria tão, ou mais, danosa que a inflação. Ninguém quis diminuir a máquina pública. Agora, é diferente. Ou vai ou racha. Está indo. Certo?    

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1908 resultados encontrados
  • 18/03/2019 - Política

    Quem tem medo de fiscal é sonegador

    É um tema antigo que vem à tona em momentos de crise. Vamos começar pela corrupção. Ela é nova? Foi criada de uma hora para outra? Ela vem sendo gerada desde a reunião entre os “ministros” com Jesus, segundo afirmam os estudiosos. Quando Judas teria "vendido" Cristo, recebendo em moedas da...
  • 16/03/2019 - Política

    Quem mandou matar Marielle? Eis a questão

    É a pergunta que já está se tornando comum, mas necessária. Parece que não vai parar tão cedo, pelo menos, enquanto não descobrirem o mandante. É bom que descubram para evitar a exploração política e a velha guerra entre o “bem e o mal”. O PSOL, partido que abrigou a combativa vereadora,...
  • 15/03/2019 - Política

    Galo torto não desconfia sem motivo

    Muitos temas propiciam desconfiança porque lhes dão motivos. Assim é a vida. Ninguém é obrigado a representar papel de Pedro Bó, o idiota criado por Chico Anysio, que a tudo respondia com ah é, é? Justificativas para acidentes com morte de gente importante, sempre causam desconfianças. O que é...
  • 14/03/2019 - Política

    O jogo é duro. Nada que cargo não resolva

    Gosto de comparar ações políticas com samba e futebol. Eu entendo que é a maneira de usar minhas preferências profissionais, no sentido de não ser muito “duro” com as decisões políticas. Pois bem, acredito que o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, entrou em meu jogo ao afirmar: "Reforma...
  • 13/03/2019 - Política

    Líderes criticam moeda de troca

    Cada vez fico mais convicto, como se fosse preciso, que os governos servem para desenvolver as aptidões para o comércio ao dar prosseguimento ao “balcão de negócios”. É uma feira livre. Quem dá mais, ou quem cobra menos. Basta olharmos para trás que a comparação é visível. E isso acontece do...
  • 12/03/2019 - Política

    Os três poderes têm direitos e o povo paga

    A Constituição determina que os três poderes possuem administração própria com independência entre si. Até aqui, é o sistema democrático que determina o que é salutar. O dinheiro que sustenta as máquinas sai do mesmo bolo. A arrecadação retira do bolo os recursos dos estados e municípios, onde o...
  • 11/03/2019 - Política

    Carnaval e suas injunções políticas

    E não me venham dizer que no carnaval não há manifestações contrárias e a favor de decisões dos governos. Seja da União, estados ou municípios. A crítica sempre vai existir. Até na ditadura, muitas escolas, que tentavam protestar contra as forças de seguranças que controlavam tudo, avisavam os...
  • 09/03/2019 - Política

    Carnaval segue gerando trabalho e renda

    Em um país, cujo desemprego anda ao redor de 12%, qualquer promoção que junte público gera renda. O movimento do comércio cresce e muitos empregos eventuais ajudam a renda familiar. Apenas para dar um exemplo, o carnaval de Candiota, que começou ontem, segue até domingo, com várias atrações....
  • 08/03/2019 - Política

    Profissional não perde a elegância

    O carnaval carioca, considerado uma das maravilhas do mundo, é tão profissional que ninguém culpa os outros por ter sido derrotado na passarela. Ao contrário, perde com elegância. Ou, como queiram, não perde a elegância. Copiei algumas declarações que mostra o reconhecimento da superioridade do...
  • 07/03/2019 - Política

    Voltamos ao trabalho. Terminou o carnaval

    É um jargão conhecido há muito tempo. Nem sei quem criou. Eu tomei conhecimento na década de 50, quando escutava o programa cômico “Edifício Balança mas não cai”, da Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Sem dúvida, era a mais ouvida no Brasil. Os personagens batiam papo, sentado ou não, na mesa de...
Exibindo 1 a 10 de 1908 resultados encontrados
  • Página de 191
Clique TV
Carnaval| Café com a Redação
Assista também:
Comunicação

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.