Bagé / RS, Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2018
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

Como tem gente que joga para a torcida

Foi notícia, ontem, em quase todos os jornais brasileiros a informação que me propiciou a coluna de hoje. "ANP quer saber de distribuidoras por que preços de combustíveis não caem”. Pelas contas da ANP, o litro dos combustíveis nas refinarias da estatal ficou R$ 0,46 mais barato, de 18 de setembro até a semana passada. Mas para o consumidor final a redução foi de apenas R$ 0,04. É uma pergunta que confunde as pessoas menos esclarecidas. Ou seja, de saída já coloca como “bandido da corte” o distribuidor final, posto de combustíveis. E aqui vai uma repetição sobre o que temos comentado há muitos anos. A culpa é de quem controla os preços que é o próprio governo. Se fizermos análise dos últimos dois anos, é claro que, os números indicarão o verdadeiro culpado. Senão, vejamos. A gasolina passou de R$ 2,30 ou pouco mais, para mais de R$ 5 nos postos. E aí, a primeira coisa que políticos menos esclarecidos fazem é denunciar o aumento. Esquecem que não há mais controle de preços. Isso terminou após o “governo” Sarney. Ele tabelou e congelou os preços, não só do combustível, mas de tudo. Então, a partir daí, o mercado é livre e quem controla a variação é o próprio mercado. O que tem sido controlado é a formação de cartéis. A diferença de preços entre um posto e outro é baseada na maior ou menor procura e nos custos que variam de um comércio para outro. E ai entram diversos fatores. O primeiro deles é que a crise aumentou o desemprego e o consumidor passou a escolher produtos semelhantes de menor valor. Passou a consumir o “estritamente necessário a sua sobrevivência”. Isso diminuiu a arrecadação dos governos. Chegamos quase à beira do abismo que poderia ser causado pela deflação. Então, o governo começou um novo processo, passou a realizar os aumentos baseados na variação do dólar. Como todos devem ter sentido, foram aumentos quase diários. A maioria deles, não foi repassado ao consumidor. Quando começou a baixar o preço nas distribuidoras (A Petrobras como porta-bandeira), os postos que não haviam “corrigidos” para cima, se negaram a corrigir para baixo. E aí vamos a outros fatores que variam de estado para estado. De cidade para cidade. O ICMS que varia de estado para estado. O frete entre distribuidoras e postos de combustíveis. Depende da distância que os caminhões ou os trens percorrem para chegar ao consumidor final. Além disso, tem os demais impostos que incidem sobre o preço final a ser pago pelos consumidores. Então, a pergunta que está sendo feita pela ANP tem um único objetivo: “Jogar para a torcida”. Ao que se saiba, a direção desta entidade é formada por grandes economistas e muito políticos. Então, o objetivo é salvar o governo da responsabilidade pelos aumentos causados pelo “próprio governo”. Querem outro exemplo? Logo que Bolsonaro ganhou a eleição, o dólar começou a baixar. Como a moeda americana foi a “culpada” pelo aumento sucessivo do preço do combustível, agora na hora que esteve em baixa, é claro que deveria baixar o combustível. Pergunta: Baixou nos mesmos níveis da moeda americana? Claro que não. O governo que está no fim resolveu continuar fazendo caixa para terminar dentro da previsão inicial, prevista por Henrique Meirelles, déficit ao redor de R$ 140 bilhões. Então, para concluir: ANP, que é agência reguladora quer saber por que a queda dos preços dos combustíveis nas refinarias da Petrobras não chega ao consumidor final. Deu 15 dias para a resposta. Creio que não vai ser necessária resposta. A variação que deverá ocorrer já servirá de resposta. Ontem, por exemplo, o dólar chegou a quase R$ 3,90. A justificativa para o pedido de esclarecimento é algo notável: "A agência tem adotado várias medidas para dar maior transparência à formação de preços e solicitado informações dos agentes periodicamente. Dessa forma, foi observada a redução significativa de preços da gasolina pela Petrobras, sem que essa decisão tenha chegado ao consumidor final". Acredito que a resposta será simples. Não há controle de preços. Vivemos em mercado livre. Cada um acresce em seus custos todos os impostos. O governo acaba ganhando no percentual que arrecada em cima dos preços estabelecidos pelos postos, para venda no varejo. O governo nunca perde. Agora, a torcida é para que a opinião do superministro, Paulo Guedes, consiga colocar em prática aquilo que vem divulgando: baixar a carga tributária para 25%. Sei que isso não se consegue de uma hora para outra. Mas, pelo menos, tentar não custa nada. O comércio varejista agradece.  

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1837 resultados encontrados
  • 17/12/2018 - Política

    A diferença entre vidraça e bodoque

    Agora, nada mais é escondido da população. Não há censura. Muito tem se falado sobre ser vidraça ou bodoque. Quem está na oposição fiscaliza o governo e faz suas denúncias. Algumas infundadas, mas boa parte com fundamento. Tem oposição irresponsável que denúncia por denunciar. Agora, o defensor...
  • 15/12/2018 - Política

    Provas são guardadas na hora certa

    A prática de nossa política tem demonstrado o que a manchete acima enfatiza. E isso só começou a aparecer após o retorno do país para o regime democrático. No início do primeiro governo após a ditadura. Não fosse a morte de Tancredo, com certeza, teria aparecido algo desabonador a sua conduta...
  • 14/12/2018 - Política

    Judiciário tem que atuar em seu papel

    Na segunda edição do Fórum de Governadores, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffolli, fez uma afirmação óbvia, mas nenhum dos que o precederam no cargo manifestou, pelo menos, que eu tenha lido na imprensa. Manchete: "É hora de o Judiciário se recolher ao seu papel tradicional”....
  • 13/12/2018 - Política

    O barco está afundando. Vamos unir

    Após cada eleição, em qualquer nível, deveria terminar o radicalismo. Uma boa gestão, tanto na área privada quanto pública, irá beneficiar a maioria da população. Infelizmente não é o que acontece no Brasil. Deve ser a mesma coisa em qualquer país democrático do mundo. Mas o meu tema é o Brasil....
  • 12/12/2018 - Política

    Polícia Federal faz buscas em imóveis de políticos

    Em ação coordenada, a Polícia Federal faz buscas de provas em imóveis de alguns políticos. Até aqui, a notícia agrada a todos os políticos decentes que não receberam nenhuma propina durante seus mandatos. Ou pelo menos, até agora, nada consta em desabono a suas condutas. Veja a relação dos...
  • 11/12/2018 - Política

    Proposta de mudança no sistema eleitoral

    Essa é a intenção do novo governo, expressada em coletiva no final de semana. Sua justificativa para propor mudança foi externada na teleconferência da Cúpula Conservadora das Américas. Como se sabe, na campanha eleitoral, ele criticou fortemente a decisão do TSE que proibiu o uso de impressora...
  • 10/12/2018 - Política

    O partido do eleito sempre complica mais

    Os anos de avenida Sete me ensinaram que o partido que elege o prefeito, governador ou presidente da República é sempre quem quer mais cargos no Executivo. Quando o governo eleito não tem a maioria no Legislativo precisa construir uma para ter mais facilidade para governar. E aí começam os...
  • 08/12/2018 - Política

    Nada melhor do que dar tempo ao tempo

    O Congresso Nacional não prega um prego sem estopa. E quando da para atingir dois objetivos com uma só decisão melhor ainda. No caso, acredito que tenha atingido mais de dois. Lembram quando o novo presidente Bolsonaro deu a entender que não gostaria que o aumento do Judiciário fosse votado este...
  • 07/12/2018 - Política

    A Câmara legaliza o excesso de gasto

    Agora sim liberou geral. A Lei de Responsabilidade Fiscal foi umas das leis que a população aprovou, ou pelo menos não criticou, quando o Congresso a criou. Foi sancionada no início do ano 2000 e tinha por objetivo controlar o gasto público na União, Estados e Municípios. Determinava o...
  • 06/12/2018 - Política

    Pedido de liberdade de Lula é adiado

    Aqui cabe uma análise para a qual não precisa ser especialista. Basta estar a par dos acontecimentos. A defesa de Lula entrou na Justiça, pedindo duas coisas. Em primeiro lugar, questionando a “possível” parcialidade de Moro, no julgamento ao qual Lula foi condenado. Como argumento, usou a...
Exibindo 1 a 10 de 1837 resultados encontrados
  • Página de 184
Clique TV
Óptica Bagé - Dia dos Pais
Assista também:
Santa Edwiges - Dia dos Pais
PUBLICIDADE
Clique Social

Coluna Social

“Quando jovens retornam ao plano espiritual, fiquemos certos: Deus apenas os levou de volta para casa. Confortemo-nos com a ideia de que, lá, nem...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.