Bagé / RS, Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2019
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

Como tem gente que joga para a torcida

Foi notícia, ontem, em quase todos os jornais brasileiros a informação que me propiciou a coluna de hoje. "ANP quer saber de distribuidoras por que preços de combustíveis não caem”. Pelas contas da ANP, o litro dos combustíveis nas refinarias da estatal ficou R$ 0,46 mais barato, de 18 de setembro até a semana passada. Mas para o consumidor final a redução foi de apenas R$ 0,04. É uma pergunta que confunde as pessoas menos esclarecidas. Ou seja, de saída já coloca como “bandido da corte” o distribuidor final, posto de combustíveis. E aqui vai uma repetição sobre o que temos comentado há muitos anos. A culpa é de quem controla os preços que é o próprio governo. Se fizermos análise dos últimos dois anos, é claro que, os números indicarão o verdadeiro culpado. Senão, vejamos. A gasolina passou de R$ 2,30 ou pouco mais, para mais de R$ 5 nos postos. E aí, a primeira coisa que políticos menos esclarecidos fazem é denunciar o aumento. Esquecem que não há mais controle de preços. Isso terminou após o “governo” Sarney. Ele tabelou e congelou os preços, não só do combustível, mas de tudo. Então, a partir daí, o mercado é livre e quem controla a variação é o próprio mercado. O que tem sido controlado é a formação de cartéis. A diferença de preços entre um posto e outro é baseada na maior ou menor procura e nos custos que variam de um comércio para outro. E ai entram diversos fatores. O primeiro deles é que a crise aumentou o desemprego e o consumidor passou a escolher produtos semelhantes de menor valor. Passou a consumir o “estritamente necessário a sua sobrevivência”. Isso diminuiu a arrecadação dos governos. Chegamos quase à beira do abismo que poderia ser causado pela deflação. Então, o governo começou um novo processo, passou a realizar os aumentos baseados na variação do dólar. Como todos devem ter sentido, foram aumentos quase diários. A maioria deles, não foi repassado ao consumidor. Quando começou a baixar o preço nas distribuidoras (A Petrobras como porta-bandeira), os postos que não haviam “corrigidos” para cima, se negaram a corrigir para baixo. E aí vamos a outros fatores que variam de estado para estado. De cidade para cidade. O ICMS que varia de estado para estado. O frete entre distribuidoras e postos de combustíveis. Depende da distância que os caminhões ou os trens percorrem para chegar ao consumidor final. Além disso, tem os demais impostos que incidem sobre o preço final a ser pago pelos consumidores. Então, a pergunta que está sendo feita pela ANP tem um único objetivo: “Jogar para a torcida”. Ao que se saiba, a direção desta entidade é formada por grandes economistas e muito políticos. Então, o objetivo é salvar o governo da responsabilidade pelos aumentos causados pelo “próprio governo”. Querem outro exemplo? Logo que Bolsonaro ganhou a eleição, o dólar começou a baixar. Como a moeda americana foi a “culpada” pelo aumento sucessivo do preço do combustível, agora na hora que esteve em baixa, é claro que deveria baixar o combustível. Pergunta: Baixou nos mesmos níveis da moeda americana? Claro que não. O governo que está no fim resolveu continuar fazendo caixa para terminar dentro da previsão inicial, prevista por Henrique Meirelles, déficit ao redor de R$ 140 bilhões. Então, para concluir: ANP, que é agência reguladora quer saber por que a queda dos preços dos combustíveis nas refinarias da Petrobras não chega ao consumidor final. Deu 15 dias para a resposta. Creio que não vai ser necessária resposta. A variação que deverá ocorrer já servirá de resposta. Ontem, por exemplo, o dólar chegou a quase R$ 3,90. A justificativa para o pedido de esclarecimento é algo notável: "A agência tem adotado várias medidas para dar maior transparência à formação de preços e solicitado informações dos agentes periodicamente. Dessa forma, foi observada a redução significativa de preços da gasolina pela Petrobras, sem que essa decisão tenha chegado ao consumidor final". Acredito que a resposta será simples. Não há controle de preços. Vivemos em mercado livre. Cada um acresce em seus custos todos os impostos. O governo acaba ganhando no percentual que arrecada em cima dos preços estabelecidos pelos postos, para venda no varejo. O governo nunca perde. Agora, a torcida é para que a opinião do superministro, Paulo Guedes, consiga colocar em prática aquilo que vem divulgando: baixar a carga tributária para 25%. Sei que isso não se consegue de uma hora para outra. Mas, pelo menos, tentar não custa nada. O comércio varejista agradece.  

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1889 resultados encontrados
  • 20/02/2019 - Política

    Se não cortarem gastos não tem auxílio

    A política é uma arte. Quem denigre essa arte são os corruptos. O comércio na democracia não é o comércio de compra e venda. Cada segmento político apresenta seus planos para “melhoria geral da vida da população” e não para o bolso de cada segmento político. Pois é mais ou menos isso que tem...
  • 19/02/2019 - Política

    Vamos falar sério: a crise exige

    Que o Brasil está em crise isso todo mundo sabe. E crise dos mais diversos tipos. Crise moral que atinge a economia. Proliferação da contravenção. Bandidos querendo tomar conta da pátria. As mais altas autoridades envolvidas em corrupção. Os legisladores não cumprindo seu papel. Com suas...
  • 18/02/2019 - Política

    A indústria sem chaminé é pouco reconhecida

    Nestes meus anos de rua sete, já ouvi de tudo. Quem defende a democracia e quem enalteça a “segurança propiciada pela ditadura”. Quem gosta de carnaval e quem o ache “coisa do diabo”. Quem goste de uma determinada seita religiosa e critique as demais, porque não segue as determinações do “grande...
  • 16/02/2019 - Política

    Que início de governo conturbado

    Não há outra expressão para analisarmos os fatos que estão acontecendo. Diga-se de passagem provocado por familiares do próprio presidente. Primeiro foi o Senador, antes deputado estadual, cuja proximidade com alguns “milicianos”, começou a destampar a fossa. Ex- assessor investigado por...
  • 15/02/2019 - Política

    Tem ladrão que não acaba mais

    Tem ladrão quando olha pra frente, tem ladrão quando olha pra trás.  Eu tinha que colocar letra de um samba para iniciar a coluna de hoje. No decorrer da matéria os leitores irão entender a causa. A colunista Adriana Cruz, do jornal O Dia, do Rio, abriu seu espaço de ontem com o título: “Surto...
  • 14/02/2019 - Política

    Bolsonaro recebe alta e está no Palácio

    Após um bom tempo no hospital, após a facada e agora para retirar a bolsa, ontem foi liberado pela equipe médica. Foi notícia, e continuará sendo, no mundo inteiro. Afinal de contas, é o presidente de um país que tem sua importância. Isso não quer dizer que o Brasil tenha parado, que decisões...
  • 13/02/2019 - Política

    Duas matérias que vão dar o que falar

    A maioria dos cidadãos já sabe quem é Fabrício Queiroz. A imprensa tem divulgado nota sobre suas ações, que agora atingem o senador Flavio Bolsonaro. Sobre Queiroz, pesa, entre outras coisas, a denúncia de ter pertencido às milícias no Rio de Janeiro. Enquanto assessor do então deputado Flavio,...
  • 12/02/2019 - Política

    CPI do ativismo judicial: começa a retaliação

    Quem acompanha este espaço e ou escuta o programa de rádio, sabe o tema que vou abordar na coluna de hoje. Todos os segmentos são formados por “bons e maus quadros”. Sempre começo a análise pela profissão que exerço há 60 anos, radialista. Quem não sabe fica sabendo que temos bons e maus...
  • 11/02/2019 - Política

    Ninguém prega/prego sem estopa

    É um velho ditado que me vem à mente cada vez que leio declaração de algum político. A bola da vez é a reforma da Previdência. Não tenho dúvida que ela é complexa. O nome reforma, já causa controvérsias. Reforma para quê? Tem que cobrar os devedores e não precisa reforma. O debate em democracia...
  • 09/02/2019 - Política

    O ser humano é pessimista por natureza

    O título que encabeça a coluna de hoje é a constatação de tudo que ouço nestes meus 77 anos frequentando os bancos da universidade da Sete. É indiscutivelmente uma prática que a gente não esquece. Qualquer notícia sobre desastre, seja na aviação, no trânsito, ou em qualquer hospital, boa parte...
Exibindo 1 a 10 de 1889 resultados encontrados
  • Página de 189
Clique TV
Qualidade de Vida
Assista também:
Daniel em Bagé
Clique Social

Coluna Social

“Quando todos descobrirem o prazer de levantar quem está no chão, o mundo dará um grande passo no processo de regeneração previsto para este...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.