Bagé / RS, Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

Todos os segmentos dão seus palpites

Estamos na reta final, ou na última semana, antes do segundo turno da eleição. É natural que os economistas, que estão sempre de plantão, deem seus “palpites” sobre ações que deverão ser tomadas logo após a posse do novo presidente. Manchete que li em relação às ações que deveriam serem rápidas para evitar turbulência na economia. Achei interessante o termo “evitar turbulência na economia”. Como se nossa economia, por má gestão, não esteja em turbulência há muito tempo. Quem alertou para os perigos do cenário internacional foi o atual presidente do Banco central, Ilan Goldfajn, que “é considerado responsável pelo controle da inflação e dos juros”. Ora bolas, antes da eleição, o Henrique Meirelles era o “cara” com respeito internacional. Agora, mudou. Após a 'débâcle' eleitoral, ele saiu de cena quase que imediatamente. Pois bem, já que todo mundo têm direito de opinar, lá vou eu, leigo no tema, meter minha colher. Os verdadeiros responsáveis pelo controle da inflação foram os consumidores que aprenderam a comprar. A buscar preços a “pechinchar”. O desemprego aliado aos empregados “com receio de serem demitidos”, trataram de comprar produtos mais baratos e forçar a baixa de preços. Enquanto isso, o governo gastava mais do que arrecadava. Isso sim gerava o déficit. Porém, e sempre tem um porém, para evitar a “deflação” que é tão nociva quanto à inflação, encontrou no aumentos dos combustíveis a solução para seus problemas. E colocou a “culpa” como sempre, nas variações do dólar, com a consequente desvalorização do real. A declaração do atual presidente do Banco Central só não toca na verdadeira causa: “aumento do gasto e da dívida pública”. A população deu o exemplo e passou a consumir apenas o necessário para sobrevivência. O governo a gastar mais e mais em sua máquina. Então, já que todo mundo está dando palpites sobre as ações que o próximo governo deve tomar logo após sua posse, me atrevo a dar a minha, que é bem antiga e conhecida. Diminua os ministérios em 50%. Não ocupe todos os cargos públicos disponíveis. Corte de imediato as viagens que reduzirão as diárias e benesses. Mande de saída para o Congresso um projeto para que os repasses aos demais poderes, Legislativo e Judiciário, tomem por base a arrecadação e não o orçamento aprovado. Por exemplo, a arrecadação de janeiro servirá de base para o repasse de fevereiro aos demais poderes. E olhe que nem estou querendo que o percentual seja diminuído. Apenas que ele incida sobre a arrecadação. A base é a economia doméstica: não se gasta mais do que se arrecada. Claro que os políticos poderão reagir. Agora, com a renovação de quase 50% do Congresso, isso até pode ser passível de aprovação. Será no início do governo, onde os legisladores novos ainda não estão contaminados pelas máquinas partidárias. E a velhas raposas foram eliminadas pelo voto popular. Conselho de um leigo.
       Quem quer ganhar eleição busca parcerias Na política atual brasileira, composições partidárias não contêm nenhum fenômeno. Faz parte do jogo. Ideologia políticas terminou quando implantaram a ditadura no país. De lá para cá, o que vale é a busca do poder. O único caso isolado é o do Jair Bolsonaro. Ele começou sua campanha para presidente da República bem lá atrás e praticamente sozinho. Tanto é verdade que deixou para escolher o partido para se filiar na última hora. Sua ascensão foi meteórica e baseada na descrença dos eleitos com a política vigente. Até agora, não “abriu a guarda”. Pois bem, mas com seu sucesso no primeiro turno, muitos candidatos a governadores de diversos estados brasileiros, logo após o primeiro turno, declararam que votariam nele. Assim foi Doria, em São Paulo. Acontece que o sucesso de Jair pode refletir no candidato que o apoiar. Pois bem, é exatamente o que se sente nas conversas do dia a dia com eleitores de Bagé. José Sartori atual governador também abriu seu voto para Bolsonaro e conquistou a adesão de outros partidos importantes. Ônix Lorenzoni, coordenador da campanha de Bolsonaro no Rio Grande do Sul, na quinta-feira, em ato público passou a apoiar o governador. Junto com ele veio o PSL e individualmente o Jairo Jorge (PDT). O candidato Eduardo Leite, por sua vez, agregou SD, PV, e alguns dissidentes de outros partidos.  Como se diz, em cancha reta “é uma penca de mano”. Vamos ver quem tem mais capacidade para conquistar mais votos. Tá lindo de se ver. Portanto, não fique de fora da decisão. Vá votar. Não anule nem vote em branco.

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1939 resultados encontrados
  • 24/04/2019 - Política

    Petrobras muda divulgação dos preços

    Visando dar mais transparência à divulgação dos preços dos combustíveis, a estatal irá registrar o valor que chega a cada ponto de venda. O que acontecia até nossos dias era sobre a média do mercado. A reclamação em cada aumento determinado pela Petrobras causa reclamações sobre a diferença...
  • 23/04/2019 - Política

    Em geral - busca pelo poder é o objetivo

    Não se encontra exceção quando se analisa a luta pelo poder. Cada um com seu objetivo. E a observação não leva em conta apenas a política. Em quase todos os setores isso acontece. Nos clubes sociais e esportivos, cada dia tem mais gente querendo assumir o poder. É claro que não é só o poder que...
  • 22/04/2019 - Política

    Não se pode gastar mais do que se arrecada

    O que mais me atrai nas leituras que faço, sobre declarações de grandes economistas brasileiros, é exatamente o que o trabalhador, pai de família, pratica no dia a dia. É um tema que me motiva a comentar sobre economia, mesmo não sendo especialista. A prática popular, que tem seu fundamento, é...
  • 19/04/2019 - Política

    Nada está tão ruim que não possa piorar

    Outra vez recorro ao futebol para analisar a atuação dos três poderes do Brasil. A meia cancha não está funcionando. Não marca, não lança ao ataque e muito menos ajuda a defesa. É a impressão que fica, pelo menos em minha maneira de pensar, quando quase ninguém se entende. O Executivo em disputa...
  • 18/04/2019 - Política

    Leigos podem opinar sobre leis

    Basta para tal comparar decisões de magistrados que diferem de caso para caso. E o que é pior contrariando decisão da própria corte. Tenho usado com exemplo a prisão em segunda instância. É necessário exemplificar. O Supremo “decidiu”, por seis votos a cinco, determinar a prisão após condenação...
  • 17/04/2019 - Política

    Impor medo ainda é a arma dos medíocres

    Quem conviveu com a ditadura irá entender o tema de hoje. Antes de mais nada, quero repetir o que motiva este espaço: Escuto e leio tudo o que as autoridades dizem, depois tiro minhas conclusões, critico ou elogio, dentro do que penso sobre o tema. Porém, não pretendo jamais, me tornar o “único...
  • 16/04/2019 - Política

    Centrão não está satisfeito com governo

    Não é um fato constatado agora. O zum-zum é antigo, desde o momento em que as exigências não foram atendidas. Reclamação sobre a falta de diálogo é a cortina de fumaça que procura esconder o real motivo. A bola da vez são os decretos assinados pelo presidente durante cerimônia dos 100 dias de...
  • 15/04/2019 - Política

    Não está afinando o violão com a gaita

     
    Nelson Rodrigues já afirmava que “a unanimidade é burra”. Então, não podemos querer que decisões governamentais fossem aprovadas por todos os seguimentos políticos. Cada partido, independente de ser, ou não, coligado com o governo, pense da mesma maneira. Isso é quase impossível. Não sei se o...
  • 13/04/2019 - Política

    Não quero falar com vocês! Tenho dito!

    A democracia e o cargo público exercido pelo voto da população mostram realmente a personalidade do eleito. Sem mal comparar, mas comparando, é igual ao “borracho”. O cidadão alcoolizado toma certas atitudes que sóbrio jamais deixou transparecer. Quantas pessoas simpáticas, que aparentam...
  • 12/04/2019 - Política

    Ajustar o gasto para caber no orçamento

    Os governos eleitos completam 100 dias de gestão. A prestação de contas é o caminho natural para quem quer “azeitar” a máquina pública. Estava tão enferrujada, gastando acima do que arrecada, que não teria outra solução senão diminuir o gasto público. A maioria dos estados e municípios...
Exibindo 1 a 10 de 1939 resultados encontrados
  • Página de 194
Clique TV
OPERAÇÃO SÃO CRISTOVAN | POLÍCIA CIVIL BAGÉ
Assista também:
OPERAÇÃO EMBOSCADA | POLÍCIA CIVIL
PUBLICIDADE
Clique Social

Coluna Social

“Os olhos do espírito só se abrem à luz quando atinge-se a maturidade adquirida na correção das rotas do viver”
MP
 
Minuano gelado; coração...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.