Bagé / RS, Quarta-feira, 21 de Novembro de 2018
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

Preservar a natureza é vida

O mundo está preocupado com a natureza. Um dia teria que acontecer. Desastres os mais variados, provocados pela insensibilidade humana, colocam em perigo o próprio depredador. E quando chega ao estágio a que chegamos, bate o sininho do medo. A vida do cidadão passa a sofrer riscos. A poluição causada por produtos tóxicos, o calor provocador do degelo que aumenta o volume do mar, as tempestades, os terremotos e tantas outras coisas provocam nos poderosos o medo de morrer. E aí começam a pensar em soluções. Menos mal, ou antes tarde do que nunca. O desmatamento da Amazônia é outro fator, senão o mais importante, que provoca a poluição do meio ambiente. Pois bem, mas a indústria do plástico, que tem por base os subprodutos do petróleo, é uma das mais devastadoras. E aqui vai um testemunho de quem, como eu, entre tantos outros, viveu a década de 60. Para estudar em “colégio de padre”, como era conhecido o Ginásio Auxiliadora, precisava um esforço grande, financeiramente falando, dos nossos pais. Eles trabalhavam, como se dizia na gíria, dia e noite, para manter os filhos na escola. No meu caso e de meus irmãos, para termos um dinheiro extra, tínhamos que arrumar um “bico” nos finais de semana. Em meu caso, trabalhava em um armazém de secos e molhados. O velho Nenê Luz na diagonal da praça Santos Dumont. Quase em frente ao colégio Fernandes Figueira, hoje posto Sá Monmany. Pois bem, naquela época todos os produtos eram vendidos a granel. Não existiam sacos plásticos. Eram sacos de papel ou papel de embrulho, como era conhecido. Quase nem se escutava falar em poluição. Os refrigerantes vinham em recipiente de vidro. De lá para cá, a indústria “descobriu” um produto derivado do petróleo e, hoje, quase tudo vem em recipiente plástico. Ninguém, na época, apercebeu-se, embevecido pela novidade, que esses produtos, um dia, trariam graves consequências à mãe natureza. Já na década de 80 para 90, não saberia precisar a data, tivemos uma voz, alta e forte, contra o uso do plástico. O professor Remídio Garcia, que também foi vereador em Bagé, ocupando, inclusive, cargos no governo municipal, entrou em guerra contra os plásticos. Inúmeras vezes o entrevistei no Visão Geral, onde ele explicava os danos causados à natureza. Entre os argumentos que ele usava, um era forte e convincente. O plástico jogado na natureza levava 500 anos para se decompor. Ou seja, não deixava a terra “respirar”. Seria semelhante, e era um dos exemplos que dava, a um saco plástico que tapasse nossa cabeça. Por falta de ar, nos levaria à morte quase que imediatamente. Lembrei-me deste fato no momento em que algumas cidades estão criando leis que proíbem o uso de canudinhos plásticos. O professor Remídio, lastimavelmente, nos deixou, porém seu combate está sendo seguido por muitos administradores públicos. Foi o caso do Rio de Janeiro, que proibiu o uso desse “inocente”, na aparência, canudinho plástico. Mas e o resto dos recipientes? A garrafa pet, os sacos de supermercados (alguns, hoje, já estão substituindo por sacos de papel), quando irão proibir sua fabricação? Foi dado o início. Só se espera que não demore muito para a proibição total. Matéria publicada na imprensa Carioca, Jornal o Dia, traz a informação de que a empresa Starbucks, que possui 28 mil lojas no mundo, sendo 113 no Brasil, começou a substituir os canudinhos de plástico, e a conclusão está prevista para 2020. O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, sancionou, na semana passada, a lei, aprovada pela Câmara, que obriga bares, restaurantes e quiosques a usar canudos de papel reciclável. No caso dos canudinhos, por serem compostos de uma matéria mais fina, leva 200 anos para se decompor. Boa parte dessa matéria acaba indo para os mares e, além da poluição, causa a morte de várias espécies. Entre as opções que surgiram até agora estão a que usa papel, vidro, aço e bambu no lugar da matéria-prima obtida do petróleo. Ontem foi a vez de Bagé entrar na briga. O vereador Augusto Lara entrou com projeto na Câmara que, com certeza, será aprovado, que segue a norma de proibir o uso do material fabricado com resíduos do petróleo. Fiquei a pensar (às vezes o faço) sobre qual a razão pela qual o Congresso Nacional não toma a mesma iniciativa e aprova lei que proíba “todos os produtos plásticos”? Não precisaria cada município criar suas próprias leis. Aproveite o ano eleitoral e pergunte aos candidatos que aqui comparecerem, qual a opinião deles sobre o tema. Afinal de contas, isso deve interessar toda a população. Se os nossos representantes, até agora, não se preocuparam com o fato, algo de “podre deve existir no reino da Dinamarca” Concordam ou não?    

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1815 resultados encontrados
  • 21/11/2018 - Política

    Que Renan é forte candidato está provado

    Há um movimento dos senadores para que Renan não seja o novo presidente da Casa. Que ele está forte o próprio movimento confirma. Leiam: “Senadores articulam voto aberto para impedir Renan na presidência da Casa”. Ora, é óbvio ululante que voto aberto mostra a cara de quem está sob seu domínio....
  • 20/11/2018 - Política

    Decisões jurídicas que ferem a liberdade

      A vaidade humana está presente em todas as instâncias. No dia a dia, sempre encontramos alguém que se intitula ente superior. Contudo, muitas vezes, tem que voltar atrás. No domingo, estive atento ao noticiário da imprensa escrita. Como se sabe, ao chegar o final de cada ano,...
  • 19/11/2018 - Política

    Política na saúde não deve ser partidária

    Não devemos mostrar ignorância em um fato público amplamente debatido. O que hoje estamos passando é continuação do que passávamos antes da criação do projeto “mais médicos”. A disputa entre governo e as instituições defensoras dos profissionais de medicina, causou reação do governo que acabou...
  • 16/11/2018 - Política

    A guerra entre o bem e o mal

    Os extremos se aproximam igual a uma ferradura. É a velha política praticada no século passado. A frase foi usada para enfatizar que o radicalismo é uma das causas do atraso e resquício da ditadura. E isso aconteceu aqui mesmo em nossa “taba”. Políticos da antiga, da direita e esquerda, ao...
  • 15/11/2018 - Política

    A "famiglia" Sarney está sempre colocada

    Não resta a mínima dúvida que os anos de militância política de Sarney lhe dão respaldo para estar sempre à frente de qualquer decisão política. Principalmente quando se trata de sua família e de seus companheiros antigos de governo. Tem sofrido derrotas políticas que, no entanto, não tira seu...
  • 14/11/2018 - Política

    O terceiro turno já começou

    Passada a eleição muitos pensam que ele já é uma pagina virada. Ledo engano. O principal está começando a acontecer: a governabilidade. Isso só se consegue com negociação. Antigamente, e não tão antigamente como pode parecer, os trâmites políticos visando a governabilidade dependiam do famoso...
  • 13/11/2018 - Política

    Final de ano as notícias escasseiam

    Pelos menos as notícias que causam impacto na população, à medida que nos aproximamos do final do ano, vão diminuindo. Os noticiários de rádio, jornal e televisão vão se tornando corriqueiros. Quem produz notícia ou comenta fatos, tem duas maneiras de manter seus leitores informados: usando a...
  • 12/11/2018 - Política

    Ninguém governa sem negociar

    A política é um verdadeiro quebra cabeça. Quem está no governo se rodeia de cabeças pensantes e vai montando suas estratégias no sentido de viabilizar seu mandato. Entrevista aqui, outra acolá, vão mostrando o caminho que está sendo seguido. E como sou desconfiado (confesso) estou sempre em...
  • 10/11/2018 - Política

    As instituições continuam agindo

    Deixando de lado o foro privilegiado, que é uma mancha muito grande na Constituição, as instituições continuam operando quase “sem parar”. Os empresários considerados “compradores” estão descendo a ladeira rumo à cadeia. Os políticos, que se venderam para aprovar leis que beneficiassem seus...
  • 09/11/2018 - Política

    Têm muitas coisas nas leis que não entendo

    E, quando não entendo, procuro me informar com quem sabe. Ontem, outra vez, tivemos uma sessão polêmica no Senado Federal. Acompanhei com atenção, porque estava sendo apreciado o projeto de reajuste dos ministros do Supremo. Pelo menos, por exigência de alguns senadores, talvez até baseada na...
Exibindo 1 a 10 de 1815 resultados encontrados
  • Página de 182
Clique TV
Óptica Bagé - Dia dos Pais
Assista também:
Santa Edwiges - Dia dos Pais
Clique Social

Coluna Social

“Entre quedas e superações, descobri a fé como mãe de todas as forças.”
MP
 
 
Cumple ao sunset
          Circula em sociedade o “save the...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.