Bagé / RS, Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2018
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

Saiu a primeira pesquisa após prisão

Neste imbróglio eleitoral, mais um, quem vai sofrer bastante são os institutos de pesquisas. Como os leitores sabem, porque trato de deixar claro, pesquisas são um alto negócio par quem as promove. Vendiam caro seu trabalho, o que não critico pela importância que boa parte do eleitorado dava a seus percentuais publicados. Serviam como parâmetro para boa parte da população. Para quem gosta de votar em “quem está na frente” serve como parâmetro. O primeiro problema enfrentado pelos institutos é exatamente a quantidade de pré-candidatos. E para isso a prisão do Lula está colaborando. Cada um dos candidatos que estão por aí lançados buscam conquistar os votos de Lula. Bolsonaro seria o oposto de Lula e como tal está sendo denunciado pela Procuradora da República ao STF. Raquel Dodge quer inviabilizar sua candidatura. Para mim já está inviabilizada porque seu eleitorado é composto pela ala mais forte da antiga direita que, no decorrer dos anos, não obteve voto suficiente para chegar ao segundo turno. Tanto é verdade que, em minha cabeça maluca, não conto com a permanência de sua candidatura à presidência. Me baseio apenas em um fato, cujo filme já passou em meu cinema: político nenhum quer ficar sem mandato. Então, creio, na última hora, ele poderá ser candidato a deputado, senador ou governador pelo Rio. Ainda mais agora que correm alguns processos contra ele e, caso não se eleja, vai cair nos braços da Justiça Federal. Perderá, como outros, o foro privilegiado. A não ser que o Supremo, que já tem reunião plenária marcada para o dia 2 de maio, resolva mudar a Lei. O outro fator que está preocupando os institutos é a falta de dinheiro. Pelo menos, o dinheiro legal. Aquele dinheiro que tinha “procedência duvidosa” está escasso. Os patrocinadores, a maioria deles, estão presos.  Mas, sei, têm muitos políticos que guardaram dinheiro de propina para financiar suas campanhas.  Terão dificuldade em comprovar gasto maior do que o permitido por Lei. Faltando dinheiro, a “guerra” entre os institutos de pesquisas diminuirá. Aquele famoso jargão, dois para cima ou dois para baixo, tende a não cumprir mais o seu objetivo. Afinal de contas, são 10 milhões de votos que servem apenas para os institutos afirmarem que suas previsões estavam certas. Mas não estavam, como os próprios números constatam. A quantidade de pré-candidatos atual já mostra a possibilidade de quem tem ou não tem votos. Mas o que começa a ser enfatizado pelos “especialistas “ políticos é que são 21% dos entrevistados que afirmaram votar em branco ou anular seu voto. Aí tive que recorrer a eleição de 2014. Sabem o percentual de votos brancos, nulos e abstenção, que ele não contam na pesquisa atual? 28%. E isso não é pesquisa: é a realidade da última eleição para presidente. Qual então a “surpresa”? Essa é a razão para que eu comente algo em que “não acredito” Pesquisa eleitoral. Ou sigo com minha opinião: “quem paga, manda”. Quem tem dinheiro, lícito, para pagar os institutos? Eis a questão. Certo? 
     
Próxima eleição é uma incógnita
Tenho verdadeira ojeriza em tentar opinar sobre fatos sem substância. Gosto de me basear em fatos reais. A velha rixa entre direita e esquerda, deixou de existir, após a união entre Lula e Sarney, que propiciou o nível atual de corrupção. Hoje o que existe é a busca de votos do eleitor “que vota em branco, anula o voto e vai se abster de votar”. Para tal, as composições partidárias deverão acontecer, como sempre aliás, após o primeiro turno. Cada ave irá “deitar em seu ninho”. Pelo andar da carruagem, o time do Temer está “montando” seu esquema e para tal não tem limites. Rodrigo Maia não vai querer perder seu foro privilegiado. Não será candidato a presidência, mas sim a deputado, senador ou governador do Rio. Vai depender do que decidir Bolsonaro. Deverá se unir ou ao Temer ou Alckmin. Quem estiver com mais possibilidade de chegar lá. Álvaro Dias, este sim, não precisa se preocupar porque está no primeiro mandato de senador, reeleito que foi em 2014. Não perde nada. Continuará por mais quatro anos como senador. Está em um partido novo e necessita construir uma base maior no legislativo. Marina Silva diz que não quer, mas quer conquistar alguns votos do Lula. Vai para a briga. Pelo que estamos observando pode haver, mais adiante, uma união entre as “ditas” esquerdas e direitas. No segundo turno é certo. Mas, creio, isso pode acontecer já no primeiro turno. Ninguém quer ficar fora do governo que assumirá em 2019. Para tal tem que se unir com o mais provável vencedor. Tanto de um lado quanto do outro. Vai de depender de nós, eleitores. Não vote em branco. Não anule seu voto. Não deixe de ir votar. Minha preferência? Não repita seu voto em quem foi denunciado. Concordam?

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1837 resultados encontrados
  • 17/12/2018 - Política

    A diferença entre vidraça e bodoque

    Agora, nada mais é escondido da população. Não há censura. Muito tem se falado sobre ser vidraça ou bodoque. Quem está na oposição fiscaliza o governo e faz suas denúncias. Algumas infundadas, mas boa parte com fundamento. Tem oposição irresponsável que denúncia por denunciar. Agora, o defensor...
  • 15/12/2018 - Política

    Provas são guardadas na hora certa

    A prática de nossa política tem demonstrado o que a manchete acima enfatiza. E isso só começou a aparecer após o retorno do país para o regime democrático. No início do primeiro governo após a ditadura. Não fosse a morte de Tancredo, com certeza, teria aparecido algo desabonador a sua conduta...
  • 14/12/2018 - Política

    Judiciário tem que atuar em seu papel

    Na segunda edição do Fórum de Governadores, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffolli, fez uma afirmação óbvia, mas nenhum dos que o precederam no cargo manifestou, pelo menos, que eu tenha lido na imprensa. Manchete: "É hora de o Judiciário se recolher ao seu papel tradicional”....
  • 13/12/2018 - Política

    O barco está afundando. Vamos unir

    Após cada eleição, em qualquer nível, deveria terminar o radicalismo. Uma boa gestão, tanto na área privada quanto pública, irá beneficiar a maioria da população. Infelizmente não é o que acontece no Brasil. Deve ser a mesma coisa em qualquer país democrático do mundo. Mas o meu tema é o Brasil....
  • 12/12/2018 - Política

    Polícia Federal faz buscas em imóveis de políticos

    Em ação coordenada, a Polícia Federal faz buscas de provas em imóveis de alguns políticos. Até aqui, a notícia agrada a todos os políticos decentes que não receberam nenhuma propina durante seus mandatos. Ou pelo menos, até agora, nada consta em desabono a suas condutas. Veja a relação dos...
  • 11/12/2018 - Política

    Proposta de mudança no sistema eleitoral

    Essa é a intenção do novo governo, expressada em coletiva no final de semana. Sua justificativa para propor mudança foi externada na teleconferência da Cúpula Conservadora das Américas. Como se sabe, na campanha eleitoral, ele criticou fortemente a decisão do TSE que proibiu o uso de impressora...
  • 10/12/2018 - Política

    O partido do eleito sempre complica mais

    Os anos de avenida Sete me ensinaram que o partido que elege o prefeito, governador ou presidente da República é sempre quem quer mais cargos no Executivo. Quando o governo eleito não tem a maioria no Legislativo precisa construir uma para ter mais facilidade para governar. E aí começam os...
  • 08/12/2018 - Política

    Nada melhor do que dar tempo ao tempo

    O Congresso Nacional não prega um prego sem estopa. E quando da para atingir dois objetivos com uma só decisão melhor ainda. No caso, acredito que tenha atingido mais de dois. Lembram quando o novo presidente Bolsonaro deu a entender que não gostaria que o aumento do Judiciário fosse votado este...
  • 07/12/2018 - Política

    A Câmara legaliza o excesso de gasto

    Agora sim liberou geral. A Lei de Responsabilidade Fiscal foi umas das leis que a população aprovou, ou pelo menos não criticou, quando o Congresso a criou. Foi sancionada no início do ano 2000 e tinha por objetivo controlar o gasto público na União, Estados e Municípios. Determinava o...
  • 06/12/2018 - Política

    Pedido de liberdade de Lula é adiado

    Aqui cabe uma análise para a qual não precisa ser especialista. Basta estar a par dos acontecimentos. A defesa de Lula entrou na Justiça, pedindo duas coisas. Em primeiro lugar, questionando a “possível” parcialidade de Moro, no julgamento ao qual Lula foi condenado. Como argumento, usou a...
Exibindo 1 a 10 de 1837 resultados encontrados
  • Página de 184
Clique TV
Óptica Bagé - Dia dos Pais
Assista também:
Santa Edwiges - Dia dos Pais
PUBLICIDADE
Clique Social

Coluna Social

“Quando jovens retornam ao plano espiritual, fiquemos certos: Deus apenas os levou de volta para casa. Confortemo-nos com a ideia de que, lá, nem...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.