Bagé / RS, Domingo, 21 de Outubro de 2018
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

O couro tá comendo e o bicho tá pegando

Os governantes não se entendem, o negócio tá preto. Urubu não vem na terra (terra Brasil) para pegar seu rango (comida) porque está com medo de virar galeto. Letra de samba, gravado na década de 80, por Bezerra da Silva, que continua, creio que continuará por muito tempo, atualizado. Vejamos. O cenário político desenhado até agora, para a próxima eleição, é o seguinte: todos esperam pela decisão da Justiça. O Lula será ou não condenado em segunda instância? Alguém irá pedir vista do processo, atrasando por tempo suficiente para que ele seja candidato? Será condenado por unanimidade, o que impediria em tese, sua candidatura? Existe apelação após decisão dos desembargadores no dia 24? Se houver, atrasa ou não o processo? Sua condenação por unanimidade o levaria imediatamente para a cadeia? Seria ou não incluído na “ficha suja” o que o impediria de concorrer? São muitas perguntas que tem sido feita pela maioria da imprensa brasileira e internacional. Eu esgotei meus pontos de interrogação. Como sempre, deixo escondida uma “carta na manga”. As leis dão tanta volta e têm tantas vírgulas que só um profissional do Direito poderá ter conhecimento. E aí paro para pensar (às vezes o faço): até eles estão em dúvida. Tenho acompanhado declarações de muitos especialistas no Direito que têm interpretações distintas, o que prova que o tema é controverso. Isso, por si, deixa os partidos que dão respaldo ao governo em compasso de espera aguardando a decisão da Justiça. Mas Temer, e sua equipe, está asfaltando a estrada. Tem aspirações de concorrer. Basta que acompanhemos as declarações, com isenção, para sentirmos o desejo ainda contido, mas palpável. Ontem, os jornais publicaram, e a Voz do Brasil deu ênfase um dia antes, ao contentamento da máquina governamental em saudar a inflação de 2017, que foi mais baixa do que o previsto pela equipe econômica. Todos falaram, de Temer ao presidente do Banco Central e do Brasil, enaltecendo os mecanismos criados pelo governo e que deram certo. Que mecanismo foi esse? - pergunta o Pedro Bó. Até o final da votação da Câmara que livrou Temer de ser investigado, quase nada foi criado para diminuir a inflação, porque a equipe governamental só se empenhou em evitar sua saída da cadeira presidencial. Liberou e está liberando recursos públicos a “torto e a direito” no intuito de conseguir seu objetivo. O que forçou a baixa da inflação foi o próprio mercado. No final de 2016, abri este espaço com a seguinte manchete: ”Só a crise nos livrará da crise”. Os leitores (que são poucos, mas fiéis) devem lembrar. Se não lembram recorram ao arquivo da Folha do Sul. O que eu quis dizer com essa afirmação é algo que está sendo constatado. O desemprego, aliado ao medo de piores dias, fizeram a população aprender a comprar. A maioria aprendeu a “pechinchar” buscando o menor preço. E isso constatei em minhas andanças pelos supermercados e paradas de ônibus em Bagé. Em filas de banco e meu contato diário com a universidade da Sete. Tanto é verdade que a arrecadação do bolo nacional diminuiu. Basta olhar com isenção os indicadores econômicos e a gritaria dos prefeitos e governadores de Estado. A arrecadação diminuindo é a maior prova que as vendas, tomando por base a arrecadação de impostos, diminuíram. Não é que a procura por manteiga ou margarina tenha diminuído. Seus preços é que baixaram. Então, o comércio teve que se enquadrar ao mercado. Passou, também, a “pechinchar”, exigindo preço mais baixo para adquirir produto de seus fornecedores. Uma coisa levou a outra. Foi o mercado e não decisões da equipe econômica que forçou a baixa da inflação. Para não dizer que não reconheço pelo menos uma decisão salutar deste governo que aí está, destaquei como positiva a liberação do fundo de garantia que estava parado. Isso deu um fôlego aos desempregados, que conseguiram pagar dívidas passadas e comprar algo fora do “estritamente” necessário à sobrevivência. Agora, fazer apologia política de algo que contrasta com a realidade, é usar de um argumento tomando para si algo que não é seu. Mas faz parte do jogo. E muita gente vai acreditar. E isso irá refletir nas próximas pesquisas que, com certeza, serão encomendadas, e pagas, mostrando esse lado “positivo” do governo. A oposição, neste momento, só está preocupada em fazer pressão para empurrar com a barriga o processo de Lula. Pela exiguidade de tempo, independente do que for decidido pela Justiça, estou convencido de que Luiz Inácio será candidato. Nem que, para tal, tenha que recorrer ao Judiciário. A Constituição determina que a prisão só poderá ser decretada após transitar em julgado. E isso só acontece após esgotado todos os prazos legais para contestação. Até Gilmar Mendes, que votou pela prisão em segunda instância, já reformulou publicamente seu voto. Então, fico com a opinião que emiti meses atrás: todos os políticos, não condenados em última instância, e que não estejam presos, poderão concorrer na próxima eleição. Embora corram o risco, se eleitos, de não serem diplomados e se forem, serem cassados pela Justiça. Este filme já passou em nosso cinema. Concordam?            

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1791 resultados encontrados
  • 20/10/2018 - Política

    Todos os segmentos dão seus palpites

    Estamos na reta final, ou na última semana, antes do segundo turno da eleição. É natural que os economistas, que estão sempre de plantão, deem seus “palpites” sobre ações que deverão ser tomadas logo após a posse do novo presidente. Manchete que li em relação às ações que deveriam serem rápidas...
  • 19/10/2018 - Política

    Desconfiança vira preocupação geral

    A democracia é e tem que ser baseada na confiança das instituições. Como sou “democrata radical”, procuro basear minha opinião em cima de fatos. O que escrevo e falo sobre as urnas eletrônicas tem como premissa a insegurança que tenho sobre “se o voto que eu cliquei para determinados candidatos...
  • 18/10/2018 - Política

    Não existe almoço grátis

    Na manhã de ontem, enquanto lia as matérias dos jornais, entre elas o indiciamento de Temer (toco no tema mais abaixo), encontrei uma reportagem  interessante no CB, que me chamou atenção. Eles fizeram um levantamento de quanto custou cada voto de um deputado distrital lá em Brasília. É claro...
  • 17/10/2018 - Política

    Candidatos têm planos para a economia

    Pelo menos deveriam ter. É uma das coisas importantes para que a economia cresça e gere emprego. Um povo sem emprego não tem perspectiva de vida. No Brasil, por falta de gestão eficiente, o desemprego atingiu 13% da população apta para o trabalho. Para que a indústria cresça, tem uma série de...
  • 16/10/2018 - Política

    Reiniciaram as pesquisas. Vamos à análise

    A BTG/ Pactual publicou, ontem, a primeira pesquisa sobre intenção de votos no segundo turno. Ainda bem que o levantamento, finalmente, publica o percentual de quem afirmou que ”não irá votar”. Como gosto de analisar números, vamos a eles. Bolsonaro tem 59% dos votos válidos contra 41% do...
  • 15/10/2018 - Política

    Liderança não se conquista tão rápido

    Na manhã de ontem, como sempre faço, fui ler os jornais brasileiros sobre o momento atual em nossa política. Manchete que me chamou atenção: ”Se quer ganhar, Haddad deve garantir que não soltará Lula”. Opinião de um professor de Harvard, Steven Levitsky, entrevistado pelo Correio Brasiliense....
  • 12/10/2018 - Política

    Quem vencer terá que formar maioria

    A opinião que sempre externei neste espaço está se formatando. Os dois candidatos entraram em campo no sentido de garantir a eleição. É claro que Bolsonaro leva vantagem. Seus eleitores continuarão fiéis ao voto do primeiro turno. Isso não é necessário que os institutos de pesquisas afirmem. É a...
  • 11/10/2018 - Política

    Ainda a disputa de vaidades no Judiciário

    O que o cidadão comum não entende são as interpretações do poder Judiciário. A referência é fundamentada nas causas que levam os juristas a interpretar a mesma lei de maneira diferente. Dizem que cada juiz tem o direito de pensar diferente ao julgar um caso usando a mesma lei. Eu sei que os...
  • 10/10/2018 - Política

    Houve renovação no Congresso Nacional

    Acompanhando parte do noticiário nacional, cheguei à conclusão de que houve, sim, renovação no Congresso Nacional. Algumas das velhas “raposas” que respaldaram a velha política não foram reeleitas. Apenas para dar um exemplo, no Senado, duas “locomotivas da má política” ficaram sem mandatos....
  • 09/10/2018 - Política

    No segundo turno a vantagem é de Bolsonaro

    É uma conclusão lógica. São os números reais que dão a certeza para essa conclusão. Os eleitores de Bolsonaro devem repetir seu voto. Aqui também baseado na lógica. O mesmo acontece com os eleitores de Haddad. O que está em jogo são os eleitores dos demais candidatos que foram barrados pelas...
Exibindo 1 a 10 de 1791 resultados encontrados
  • Página de 180
Clique TV
Óptica Bagé - Dia dos Pais
Assista também:
Santa Edwiges - Dia dos Pais
Clique Social

Coluna Social

Divulgação/FS

SONHOS e realizações, título do texto que  Ana Maria de Souza Delabary escreveu para saudar a sua amiga e professora Lia Rejane Mendes Barcellos,...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.