Bagé / RS, Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

O couro tá comendo e o bicho tá pegando

Os governantes não se entendem, o negócio tá preto. Urubu não vem na terra (terra Brasil) para pegar seu rango (comida) porque está com medo de virar galeto. Letra de samba, gravado na década de 80, por Bezerra da Silva, que continua, creio que continuará por muito tempo, atualizado. Vejamos. O cenário político desenhado até agora, para a próxima eleição, é o seguinte: todos esperam pela decisão da Justiça. O Lula será ou não condenado em segunda instância? Alguém irá pedir vista do processo, atrasando por tempo suficiente para que ele seja candidato? Será condenado por unanimidade, o que impediria em tese, sua candidatura? Existe apelação após decisão dos desembargadores no dia 24? Se houver, atrasa ou não o processo? Sua condenação por unanimidade o levaria imediatamente para a cadeia? Seria ou não incluído na “ficha suja” o que o impediria de concorrer? São muitas perguntas que tem sido feita pela maioria da imprensa brasileira e internacional. Eu esgotei meus pontos de interrogação. Como sempre, deixo escondida uma “carta na manga”. As leis dão tanta volta e têm tantas vírgulas que só um profissional do Direito poderá ter conhecimento. E aí paro para pensar (às vezes o faço): até eles estão em dúvida. Tenho acompanhado declarações de muitos especialistas no Direito que têm interpretações distintas, o que prova que o tema é controverso. Isso, por si, deixa os partidos que dão respaldo ao governo em compasso de espera aguardando a decisão da Justiça. Mas Temer, e sua equipe, está asfaltando a estrada. Tem aspirações de concorrer. Basta que acompanhemos as declarações, com isenção, para sentirmos o desejo ainda contido, mas palpável. Ontem, os jornais publicaram, e a Voz do Brasil deu ênfase um dia antes, ao contentamento da máquina governamental em saudar a inflação de 2017, que foi mais baixa do que o previsto pela equipe econômica. Todos falaram, de Temer ao presidente do Banco Central e do Brasil, enaltecendo os mecanismos criados pelo governo e que deram certo. Que mecanismo foi esse? - pergunta o Pedro Bó. Até o final da votação da Câmara que livrou Temer de ser investigado, quase nada foi criado para diminuir a inflação, porque a equipe governamental só se empenhou em evitar sua saída da cadeira presidencial. Liberou e está liberando recursos públicos a “torto e a direito” no intuito de conseguir seu objetivo. O que forçou a baixa da inflação foi o próprio mercado. No final de 2016, abri este espaço com a seguinte manchete: ”Só a crise nos livrará da crise”. Os leitores (que são poucos, mas fiéis) devem lembrar. Se não lembram recorram ao arquivo da Folha do Sul. O que eu quis dizer com essa afirmação é algo que está sendo constatado. O desemprego, aliado ao medo de piores dias, fizeram a população aprender a comprar. A maioria aprendeu a “pechinchar” buscando o menor preço. E isso constatei em minhas andanças pelos supermercados e paradas de ônibus em Bagé. Em filas de banco e meu contato diário com a universidade da Sete. Tanto é verdade que a arrecadação do bolo nacional diminuiu. Basta olhar com isenção os indicadores econômicos e a gritaria dos prefeitos e governadores de Estado. A arrecadação diminuindo é a maior prova que as vendas, tomando por base a arrecadação de impostos, diminuíram. Não é que a procura por manteiga ou margarina tenha diminuído. Seus preços é que baixaram. Então, o comércio teve que se enquadrar ao mercado. Passou, também, a “pechinchar”, exigindo preço mais baixo para adquirir produto de seus fornecedores. Uma coisa levou a outra. Foi o mercado e não decisões da equipe econômica que forçou a baixa da inflação. Para não dizer que não reconheço pelo menos uma decisão salutar deste governo que aí está, destaquei como positiva a liberação do fundo de garantia que estava parado. Isso deu um fôlego aos desempregados, que conseguiram pagar dívidas passadas e comprar algo fora do “estritamente” necessário à sobrevivência. Agora, fazer apologia política de algo que contrasta com a realidade, é usar de um argumento tomando para si algo que não é seu. Mas faz parte do jogo. E muita gente vai acreditar. E isso irá refletir nas próximas pesquisas que, com certeza, serão encomendadas, e pagas, mostrando esse lado “positivo” do governo. A oposição, neste momento, só está preocupada em fazer pressão para empurrar com a barriga o processo de Lula. Pela exiguidade de tempo, independente do que for decidido pela Justiça, estou convencido de que Luiz Inácio será candidato. Nem que, para tal, tenha que recorrer ao Judiciário. A Constituição determina que a prisão só poderá ser decretada após transitar em julgado. E isso só acontece após esgotado todos os prazos legais para contestação. Até Gilmar Mendes, que votou pela prisão em segunda instância, já reformulou publicamente seu voto. Então, fico com a opinião que emiti meses atrás: todos os políticos, não condenados em última instância, e que não estejam presos, poderão concorrer na próxima eleição. Embora corram o risco, se eleitos, de não serem diplomados e se forem, serem cassados pela Justiça. Este filme já passou em nosso cinema. Concordam?            

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1570 resultados encontrados
  • 22/01/2018 - Política

    Tudo tem explicação, embora não convença

    O tema de hoje é uma mistura dos últimos acontecimentos. Pode servir de base para análise dos leitores. Concordar ou não é um mero detalhe. O que interessa é que serve para reflexão. Vamos ao primeiro deles: Temer manda demitir os vice - presidentes da Caixa. O motivo alegado é que teria sido...
  • 20/01/2018 - Política

    Petrobras e suas decisões geram atrito

    É a mais pura verdade. Dá a impressão que as decisões tomadas pela estatal tem como objetivo criar atritos entre os revendedores de seus produtos e o consumidor. A gasolina subiu em menos de dois meses, quase 30%. Nos postos, pelo menos aqui em Bagé, este aumento não foi transferido...
  • 19/01/2018 - Política

    O que é da moda não incomoda

    Quantas vezes os leitores usaram ou escutaram esse jargão? Eu, pelo menos, escuto há mais de 50 anos. Pois bem, muitos me consideram teimoso. Eu não me importo porque sei que sou. Mas não sou viciado em teimosia. Teimosia também tem limite. É o bom senso que entra em ação. A moda sempre foi e...
  • 18/01/2018 - Política

    Tem coisa que não dá para entender

    O mundo jurídico não se entende. É o que se escuta falar nas quadras da universidade da Sete. O mesmo jargão usado para a prisão de adolescentes é também aplicado para decisões do Judiciário. No primeiro caso, “a polícia prende e o Judiciário solta”, é bem mais antigo. E sempre quem leva a culpa...
  • 17/01/2018 - Política

    Tudo começou há 20 anos. Nada mudou

    A política brasileira após a ditadura segue seu caminho natural projetado pelas lideranças. O que mudou foi a busca de poder que dividiu a composição que lutou pelas Diretas Já.  Se fizermos uma análise dos acontecimentos chegaremos  à conclusão que: a “junção” de lideranças (oposição e...
  • 16/01/2018 - Política

    Os reis estão despidos. É ano eleitoral

    O tema de hoje já foi abordado diversas vezes neste espaço. Nunca é demais repetir. Principalmente no momento em que autoridades resolvem “botar a boca no trombone”. Ano eleitoral quase sempre abre espaço para esse palanque. O inchaço da máquina pública. A crise brasileira, que ainda não...
  • 15/01/2018 - Política

    Em busca do poder vale tudo

    Quem acompanha este espaço sabe o que penso e não escondo. Sou adepto de que a omissão sobre fatos é muito pior do que afirmar o que se pensa, mesmo sujeito a erro. Pois bem, a politicagem praticada no Brasil, após a ditadura (não confundam com política que é outra coisa), mostra bem o quadro...
  • 13/01/2018 - Política

    A beleza natural atrai turistas

    Só quem não cuida da natureza são os próprios habitantes. Estou me referindo aos nossos conterrâneos. Lá fora, cada país que cuide de seu povo. Como se sabe, a violência, cantada em verso e prosa, pela nossa imprensa, de certa maneira, tem reflexos no turismo internacional. E conto outra vez a...
  • 11/01/2018 - Política

    Empresários mantêm negócios em sigilo

    A vida nos ensina que os empresários não deixam transparecer, antecipadamente, possíveis negociações. Mantêm sigilo. E sigilo sempre foi a arma dos negócios. O poder público, de uns anos para cá, não segue o exemplo. Agora está tudo escancarado. Quem não sabe que a moeda de troca são as emendas...
  • 10/01/2018 - Política

    Jogo é jogo. Gato é um bicho. Guerra é guerra

    A sociedade brasileira, incentivada pela imprensa, procura diferenciar procedimento ilícitos, dependendo de quem está envolvido em atividade pública ou privada. Ou seja, mede o procedimento de cada cidadão, olhando o tamanho do saldo bancário ou de sua importância política. Há quem diga que isso...
Exibindo 1 a 10 de 1570 resultados encontrados
  • Página de 157
Clique TV
Novo Polo na Tterrasul
Assista também:
Casa & Conforto
Clique Social

Coluna Social

“A vela propulsora dos sonhos é a luta. Coloque fé no trabalho e veja a sua vida navegar pelo mar transparente das realizações.”
MP
 
Pelas...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.