Bagé / RS, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

O bicho tá pegando. Corruptos conspiram

A maioria dos políticos, estou falando sobre os corruptos, estão pisando em ovos, como diriam os mais antigos. São mais de duzentos os investigados pela Polícia Federal, entre eles, a grande maioria já está nas mãos do Supremo ou da Justiça federal, dependendo se ele tem foro privilegiado ou não. As empreiteiras que estão no “olho do furacão”, participaram da “compra de políticos” para verem suas propostas aprovadas. Com o título “ajuda de campanha”, se formou a grande base da “gang” descoberta e sendo julgada. E aí escapam poucos partidos, talvez só os menores, desta roubalheira. Mas estes, por serem pequenos e não terem representação suficiente para caçar os ladrões, se restringem, apenas a gritar. Esbravejam contra os bandidos, mas é só. Quem está salvando (ou lavando?) a pátria são as instituições. Aqui do lado de fora, apenas observando os acontecimentos, tiro minhas conclusões. No caso atual, ao escutar os envolvidos explicando os atos que não consideram ilícitos, me dá vontade de rir. Por exemplo, ao defenderem o caixa dois, apenas confirmam que ele existiu. Ou seja, dão razão aos investigadores. Então, a jogada ensaiada por todos é a seguinte: “Nem sempre caixa dois é crime”. Partindo do principio que isso seja considerado legal, está aberta a porteira para os sonegadores usarem a estratégia e sonegarem impostos. É senil, porém, uma coisa é uma coisa e outra é outra. Sem olhar para o lado jurídico, por ser leigo, me atenho a parte prática. Quem sonega imposto não está roubando do país dos brasileiros? Está. Quem roubou da Petrobras, não fez a mesma coisa? Fez. Os grandes sonegadores não usaram dos políticos para “legalizar” suas falcatruas? Usaram. Então, os reais prejudicados somos nós, que pagamos os impostos e elegemos os governantes no sentido deles solucionarem os problemas de saúde, educação e segurança. Muito esclarecedora foi a opinião da presidente do Supremo, Carmen Lúcia: "O que está sendo julgado não é se o caixa é um, dois ou três, é a procedência do dinheiro”. 
 
Onde quero chegar: eis a questão
Já cheguei há muito tempo, basta lerem minhas colunas desde o início do Folha do Sul. Os privilégios têm que acabar, respeitando a própria Constituição: “Todos são iguais perante a lei”. Os corruptos hoje, estão mais preocupados com a próxima eleição do que com os processos judiciais que estão andando nas diversas áreas do judiciário. No Supremo é mais lento do que na Justiça Federal. Imaginem o que pensam os denunciados. Até isso eu tento adivinhar. Com seus doadores, a maioria preso, não haverá quem auxilie suas campanhas. Eles não estão preocupados com seus julgamentos, mas sim com sua reeleição. Sem dinheiro, eles sabem, que ficarão em situação idêntica aos candidatos que sempre concorreram sem auxílio extra, mas sim como os recursos do próprio partido. Então, estão bolando uma reforma na Lei Eleitoral que permita ajuda de campanha de quem quer que seja, mas que será depositada no TSE, para ser dividida levando em consideração o tamanho dos partidos. Se me fosse dado a oportunidade de votar, até aceitaria em parte a sugestão. Doação sim, mas divisão igualitária sem olhar o tamanho dos partidos. O mesmo deveria ocorrer com os espaços políticos. Todos os candidatos da majoritária teriam o mesmo tempo disponível no rádio e televisão. Aí terminaria um dos objetivos para formação de coligações: O tempo na mídia. Concordam ou não?
 
Briga de foice no escuro                                                  
Na quarta (dia 15), Michel Temer se reuniu no palácio, com os presidentes da Câmara (Rodrigo Maia), do Senado (Eunício Oliveira) e do TSE (Gilmar Mendes), para tratar de uma reforma no sistema político/eleitoral. Nem me perguntem o que o Gilmar Mendes estava fazendo por lá. Sua participação política e não jurídica como querem que acreditemos, não deixa dúvida sobre sua importância na mudança, temporária eu diria, das regras eleitorais. É claro que o tema é beneficiar a quem está com a “cola presa”. Pois bem, na sexta (dia17), a presidente do Supremo, Carmen Lúcia, em entrevista à rádio CBN, assim se manifestou: "O sistema brasileiro precisa mesmo ser repensado, não tenho dúvida nenhuma. Mas a lista fechada e o financiamento fazem com que haja provavelmente pessoas que vão arvorar-se quase como donos, proprietários de partidos". Foi além, demonstrando que não concorda com a montagem de um sistema engendrado no palácio: “Talvez seja a hora da gente cumprir o artigo 14 da Constituição. Afinal, o artigo 1º da Constituição estabelece que o povo é soberano, o povo é que é titular da soberania, logo ele é que deve decidir em última instância. O artigo 14 da Constituição de 1988 prevê esses mecanismos. Talvez já tenha passado da hora da gente começar a adotá-los para que o povo se manifeste". Ela defende referendo ou plebiscito, com amplo debate para que o eleitor entenda o que vai ser modificado. Boa, dona Carmem! Mudar as regras do jogo com a partida andando não é aceita nem no futebol. Por baixo do arroz tem linguiça. Ou não?
 

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1539 resultados encontrados
  • 13/12/2017 - Política

    Governo pressiona indecisos sobre reforma

    Pelo menos o rolo compressor do governo não engana ninguém. Primeiro, porque todo mundo já sabe, e segundo, porque está em jogo a próxima eleição. Vem a público e declara, alto e bom som, que a baixa dos juros, na próxima reunião, depende da aprovação da reforma da Previdência. Desde o último...
  • 12/12/2017 - Política

    Dois temas que na prática não funcionam

    Um deles são os cartões corporativos e o outro o uso indiscriminado dos aviões da FAB. Sobre os cartões, nada mais tem se escutado falar. Lembram que, antigamente, e não tão antigamente assim, membros do governo usavam os cartões para pagar cachorro-quente na banca da esquina. Teria sido a gota...
  • 11/12/2017 - Política

    O governo comemora a vitória do povo

    No sábado e domingo, a maioria dos jornais brasileiros reproduziu mensagem do governo Temer comemorando a inflação baixa. É o autêntico cumprimento com o chapéu dos outros. E aqui peço permissão aos leitores para repetir o título que encabeçou esta coluna, logo que iniciou, ou que foi detectada,...
  • 09/12/2017 - Política

    Cansei - que chegue o recesso

    Não cansei, é bom que saliente, do dia a dia do jornalismo. Quem escolhe a informação como alimento não cansa. Ou no velho ditado popular, “quem corre por prazer não cansa”. Agora, estou cansando do que tenho acompanhado. Boa parte dos órgãos de comunicação que costumo acompanhar diariamente,...
  • 08/12/2017 - Política

    Cada estrategista tem sua reserva técnica

    A vida nos ensina muita coisa. Deveria ensinar, também, que não se engana todos para sempre. Pode enganar alguns por algum tempo. Mesmo assim, a classe política segue apostando na memória curta dos eleitores. É uma estratégia que vem dando certo. A reforma da Previdência, cantada em verso e...
  • 07/12/2017 - Política

    A coluna em tópicos. Salada de frutas

    Hoje resolvi voltar ao formato da coluna no antigo Correio do Sul. Acontece que me deparei, nas leituras matinais, com três matérias importantes colhidas nos jornais O Dia, Jornal do Brasil, Correio Brasiliense e Estadão. Aparentemente, nada tem a ver um com o outro. Aparentemente. A primeira...
  • 06/12/2017 - Política

    Estão descobrindo a América

    Quem está atento ao noticiário se apercebe de certas coisas que já foram notadas há muito tempo, mas só agora vêm à tona. Pela força da profissão, procuro me informar em muitos meios de comunicação. Cada um tem seu estilo de informar e nem sempre se assemelham em seu conteúdo. Que a Lava Jato já...
  • 05/12/2017 - Política

    Três temas voltam à tona na coluna

    Nada que vamos abordar hoje é considerado novidade. Por diversas vezes, individualmente, já analisamos. Um deles traz a seguinte informação: “Câmara gasta, por ano, mais de R$ 4 milhões em auxílio-moradia para deputados mesmo com  apartamentos vazios”. Ora senhores, a Câmara de Deputados possui...
  • 04/12/2017 - Política

    Os inocentes acreditam em tudo I

    Não sou especialista em nada. Mas sou crítico em quase tudo. É isso que amigos mais chegados sempre estão me advertindo. Alguns até me consideram “soldadinho certo”. Em rodas de amigos sempre surge a oportunidade de contrapormos com o interlocutor. Outra vez comento fatos noticiados no final de...
  • 02/12/2017 - Política

    O justo não pode pagar pelo pecador

    Se tem um assunto que quase sempre vem à baila no período eleitoral, são denúncias contra possíveis candidatos. Principalmente se as tais pesquisas mostram números que indicam a possibilidade de uma vitória. Embora, quem dite as normas seja o diretório nacional, jamais vou comparar os militantes...
Exibindo 1 a 10 de 1539 resultados encontrados
  • Página de 154
Clique TV
Novo Polo na Tterrasul
Assista também:
Casa & Conforto
Clique Social

Coluna Social

“Engana-se quem acha que a riqueza e o status atraem inveja. As pessoas invejam mesmo o sorriso fácil, a luz própria, a felicidade simples e...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.