Bagé / RS, Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018
Siga-nos:

Colunistas

Edgar Muza | Bagé/RS
Coluna: Política
Perfil: Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Política

Tá afinado o violão com a gaita: segue o baile

Todos são iguais perante a lei. Que bonito e justo, se fosse seguido à risca. Mas não é. Alguns são “mais iguais que outros”. A Suprema Corte de um país, no caso em apreço é o Brasil, está formada para defender ou punir os políticos com o tal “foro privilegiado”, que nada mais é que separar a casta da plebe. O que mais depõe contra o Supremo é a indicação do presidente da República, com a sabatina do Senado, formado por políticos. Então, para início de conversa, a formação do STF tem cunho político. Pode até ser levado em consideração, em alguns casos, o saber jurídico. Mas a política é a base de tudo. Em coluna anterior trouxe a relação da composição atual do Supremo onde há ministros indicados por diferentes partidos. Agora mesmo, a indicação de Alexandre de Moraes teve o dedo do PSDB, no qual era filiado. Por que Temer aceitou? Porque os tucanos agora são seus aliados. E o Supremo tinha apenas um nome do PSDB, nomeado, na época, por Fernando Henrique. No intuito de equilibrar as forças e para manter a base unida, Moraes será o novo membro do partido a guindar a cargo tão importante. Marco Aurélio Melo é considerado “único soldadinho com passo certo” porque tem se manifestado, quase sempre contrário às decisões da maioria. Pois, ontem, ele mostrou algo que poucos têm enfatizado. Eu já vinha de olho em suas decisões que, embora contrariem a maioria, têm sua lógica. Pelo menos para um leigo como eu. Há poucos dias ele liberou uma liminar, retirando Renan Calheiros da presidência do Senado. Seguiu a maioria que, em decisão anterior, retirou Eduardo Cunha da presidência da Câmara. Pois derrubaram sua liminar. A justificativa foi de que “cada caso é um caso”. A pergunta da época ninguém respondeu: ”Renan e Eduardo não são acusados por enriquecimento ilícito? Por se apropriarem de dinheiro “sujo” pertencente ao povo? São. Por que o Supremo cassou um e deixou o outro? Hoje a resposta é simples: Renan tem a maioria no Supremo e Eduardo não. Antes que pensem que estou contra a prisão de “mafiosos” afirmo: eu gostaria de ver ambos presos. E não só eles. Os crimes cometidos são iguais. O Senado deveria ter cassado Renan assim como a Câmara cassou o Eduardo. Ambos perderiam o foro privilegiado e estariam nas mãos de Moro. Pois, ontem, o Supremo se reuniu para julgar uma decisão de Teori, ainda no ano passado, que não concedeu liberdade a Eduardo Cunha. Presentes nove ministros, uma ausência (Lewandowski). O único voto favorável à liberação de Cunha foi exatamente de Marco Aurélio Melo. Até aí será levado pelo caminho de que “o homem é contra a tudo e polêmico por natureza”, inclusive confessado por ele mesmo. Pois é, mas ele deixou um pergunta no ar, que poucos irão comentar:“Se Eduardo Cunha não tivesse sido cassado e mantivesse o foro privilegiado - assim como Renan -, estaria preso? A resposta qualquer leigo pode dar imediatamente: não. Se os leitores quiserem saber a verdade, o número de denunciados pela Odebrecht, 58, está à disposição na mídia impressa nacional. Basta acessar. Ali constam grandes líderes de partidos que, hoje unidos, formam o “time” que está montando sua defesa. Desde o presidente da República até alguns ministros, políticos e dirigentes partidários. Começa tudo pelo tribunal. Estando com ministros “amigos”, no mínimo estarão garantidos no cargo até o final do mandato. Nada irá acontecer. Resta o quê? O voto da população na próxima eleição. Banir da vida pública o máximo de corruptos denunciados. Aí, leitores, eles deixarão de ter foro privilegiado e cairão nas mãos do Moro. É exatamente contra isso que os corruptos lutam. Querem cair nos “braços” do Supremo, muito mais aconchegante que os de Moro. Minhas conclusões são baseadas em fatos, facilmente comprováveis no noticiário da imprensa nacional. Agora, por exemplo, Carlos Veloso é o nome em pauta para exercer o Ministério da Justiça, encarregado de comandar, entre outras, a Polícia Federal. Ele foi nomeado para o Supremo - onde exerceu a presidência -, pelo então presidente Sarney. Isso em maio de 1990. Hoje, ele é indicado pelo PSDB que, dessa maneira, também escala alguns de seus bons jogadores para o time de “astros” montados pelo atual governo. Ainda não aceitou. Mas a lembrança de seu nome e as conversas mantidas com o atual presidente mostram que o “treinador” está visando à vitória neste campeonato. É claro que entendo a formação dos ministérios - para dirigir um país (estados e municípios não ficam de fora) - depende da negociação da base política. Mas não é proibido que se mostre a “ficha técnica” dos lembrados. Faz parte do jogo. Mesmo que eles não aceitem o cargo. A lembrança de seus nomes mostra a intenção. Ou não?                

Comente essa notícia
Exibindo 1 a 10 de 1593 resultados encontrados
  • 20/02/2018 - Política

    A diferença entre o Ceará e o Rio de Janeiro

    A desconfiança em tudo que os governantes decidem (ou em quase tudo!) se fundamenta exclusivamente na diferença de procedimento. Quem não sabe que a criminalidade está cada vez mais divulgada nos meios midiáticos é porque não tem tempo ou não se interessa pelo que está a sua volta. No entanto, a...
  • 19/02/2018 - Política

    O problema do Brasil é desrespeito às leis

    O decreto de intervenção militar no Rio desperta a velha rixa entre o bem e o mal. Para início de conversa reitero que sou um democrata convicto. “Democrata radical”, como se o termo servisse de base para qualquer interpretação diferente daquilo que penso, e expresso, em defesa do sistema...
  • 17/02/2018 - Política

    A política deve ser satanizada

    Em viagem a Washington, o vice- residente do STF, José Antônio Dias Toffoli afirma “Judiciário não deve satanizar políticos”. A partir dessa afirmação, interessei-me pelo corpo da matéria. Primeiro para saber o que ele estava fazendo nos Estados Unidos. Se em missão oficial ou gozando de suas...
  • 16/02/2018 - Política

    Anatel marca reunião extraordinária

    Na próxima quinta-feira está marcada uma reunião extraordinária do conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) cujo objetivo é debater o acompanhamento do processo de recuperação judicial da OI. Dito encontro será fechado ao público “por se tratar de assunto sigiloso”. Ao...
  • 15/02/2018 - Política

    Voltamos à rotina. Na pauta: a Previdência

    Tudo o que está acontecendo no Brasil traz, em primeiro plano, a próxima eleição. Não pensem que a defesa das reformas por parte da base do governo não está inserida no receio dos parlamentares de serem “corridos” pelas urnas. Agora não se trata mais do tema em si. Agora, os parlamentares da...
  • 14/02/2018 - Política

    Carnaval: expressão da cultura popular

    Para quem assistiu, parte ou todo, às imagens do carnaval brasileiro, deve ter sentido, como eu senti, orgulho de aqui ter nascido. Não pelo espetáculo em si, mas para a verdadeira aula de história que, creio, estão ausentes em nossos bancos escolares. O espetáculo já é reconhecido no mundo...
  • 10/02/2018 - Política

    Jogar para a torcida é a prática política

    Havia escolhido, para a coluna de hoje, abordar temas relacionados ao carnaval. Somente ao carnaval. Infelizmente, decisões de governos ou de autoridades do Judiciário não me deixam margem para que ocupe todo o espaço de hoje, com a maior festa popular que é o carnaval brasileiro. A partir da...
  • 09/02/2018 - Política

    Culpar os outros é mais fácil do que assumir

    Essa prática não é nova. Todo o governo que assume, ao enfrentar a primeira dificuldade, coloca a culpa no governo que o antecedeu. É claro, se ele for de partido adversário. Se for companheiro quem recebe o cargo por voto popular, engole em seco e deixa para lá. Poucos são os casos do “fogo...
  • 08/02/2018 - Política

    Por muito menos, Vargas deu um tiro no peito

    Realmente, nós estamos mal representados no governo central. A frase que abre a coluna de hoje foi proferida por Carlos Marun. Não deveria ser levada em consideração, porque a história do Marun não merece que se perca tempo em contestar. Mas quem cala consente. O simples passado político do...
  • 07/02/2018 - Política

    Certas declarações nos levam ao passado

    Quem acompanha os movimentos políticos (partidários e eleitoreiros) não deve desconhecer certas afirmações de quem deveria ser discreto pela importância dos cargos que exerce. Presidentes da República e da Câmara. Ambos candidatos à presidência de República. Afirmam que estão aliados, mas, na...
Exibindo 1 a 10 de 1593 resultados encontrados
  • Página de 160
Clique TV
Novo Polo na Tterrasul
Assista também:
Casa & Conforto
Clique Social

Aplausos

MERECIDA homenagem vai receber Nei Mário Mércio Carneiro pelos seus 55 anos como sócio do Rotary Clube de Bagé. O evento, dia 1º de março, no...

Notícias mais lidas do dia

Clique Horóscopo

Áries

Sol e vens continuam seu caminho unidos em leão ainda motivando seu coração. Lua e mercúrio em virgem melhoram as relações de trabalho e possibilitam acordos de negócios. planos e projetos em alta.

Touro

Mercúrio e lua em virgem e ainda seu regente unido ao sol em leão abrem espaços em sua vida para um novo amor entrar. Se já for comprometido, melhora sensivelmente seu relacionamento. Finanças em alta.

Gêmeos

Seu regente entra em virgem e sua capacidade intelectual e mental aumentam sensivelmente. A fase é ótima para rever assuntos relacionados à sua família ou a questões domesticas. Comunicação em alta.

Câncer

Venus e sol unidos em leão continuam trazendo benefícios à sua vida financeira. O momento é ótimo também para pequenas viagens e assuntos de trabalho relacionados à comunicação. Amor em fase neutra.

Leão

Venus e sol em seu signo continuam agindo positivamente em sua vida, especialmente a amorosa e financeira. Mercúrio unido à lua aumenta ainda mais as possibilidades de bons acordos de negócios e ganhos financeiros.

Virgem

Mercúrio e lua em seu signo melhoram o astral que anda meio baixo, com queda de energia. Procure relaxar e manter-se protegido de ambientes e pessoas carregadas. A fase é ótima para acordos comerciais e a comunicação.

Libra

Mercúrio e lua em virgem derrubam sua energia, apesar das demandas sociais. A fase é ótima para a reflexão e a meditação. Seu regente unido ao sol em leão abrem portas para novos contatos comerciais.

Escorpião

Mercúrio e lua em virgem mobilizam sua vida social e amizades neste período. Venus e sol unidos em leão ainda beneficiam sua carreira e vida profissional. A fase é ótima para a comunicação e novos contratos.

Sagitário

O sol e Venus em leão continuam ativando seus estudos e as viagens podem se tornar seu foco neste momento. Carreira e vida profissional em alta, com possibilidade de novos projetos ou propostas de trabalho.

Capricórnio

Mercúrio e lua em virgem aceleram seus projetos e planos futuros e assuntos relacionados a viagens longas e contato com estrangeiros. Fase de grande otimismo e espiritualidade renovada. Amor em alta.

Aquário

Venus e sol em leão continuam mobilizando contatos e parcerias e melhorando seus relacionamentos afetivos e de amizades. A fase é das melhores. Cuidado apenas para não se deixar levar por pensamentos negativos.

Peixes

O trabalho continua sendo beneficiado pela passagem de Venus e do sol pelo signo de leão. Mercúrio e lua em virgem mobilizam seus relacionamentos pessoais e parcerias comerciais. Amor em alta.